Tribulus terrestris: O que é, efeitos, recomendações e como usar

Conhecida como “viagra natural”, Tribulus Terrestris é uma planta com propriedades medicinais utilizada há décadas na Europa como estimulante sexual, e para favorecer o ganho de massa muscular daqueles que praticam treinos de hipertrofia, com a alegação de que seu consumo aumentaria os níveis de testosterona.

Saiba tudo sobre a erva herbácea Tribulus Terrestris, seus efeitos no organismo, recomendações e como utilizá-la!

O que é e para que serve a Tribulus Terrestris

Tribulus terrestris é uma planta da família Zygophyllaceae, também chamada de videira de picturanativa de regiões quentes, temperadas e tropicais como o sul da Europa e da Ásia e alguns locais da África e da Austrália.

Essa erva daninha rasteira apresenta diversos efeitos terapêuticos e é utilizada há anos pela medicina tradicional da Índia, China e Grécia, a ayurveda, para o tratamento de infertilidade, impotência, disfunção erétil e libido baixa.

Este fitoterápico começou a ganhar espaço entre os atletas e indivíduos que buscavam a hipertrofia muscular que acreditavam que o produto promoveria um aumento na testosterona ou seria capaz de “imitar sua ação” no organismo. A testosterona é um hormônio sexual que predomina nos homens e apresenta um papel importante tanto no aumento da produção de proteínas quanto na redução do catabolismo, processo em que moléculas são degradadas no organismo para gerar energia.

A erva tem sido utilizada como tônico, afrodisíaco, anti-inflamatório, analgésico, adstringente, anti-hipertensivo, diurético e para combater infecções urinárias, mas o que mais atrai os adeptos do uso desta planta é a divulgação de seus efeitos na função reprodutiva masculina, que incluem melhora da função erétil, da atividade sexual e da quantidade do sêmen e mobilidade dos espermatozóides, aumentando a fertilidade masculina.

Os compostos encontrados em maior quantidade no extrato de tribulus são as saponinas, os flavonóides e os alcalóides, responsáveis pelo sabor amargo dessa e outras plantas como o boldo e a carqueja.

As saponinas pertencem a um grupo de antioxidantes que, além de combater a formação excessiva de radicais livres, afastando o envelhecimento precoce, atuam reduzindo a absorção intestinal de colesterol e aumentando sua eliminação na fezes, além de diminuir os níveis de açúcar no sangue. Assim você pode prevenir a diabetes e o colesterol alto, consumindo a planta.

Recentemente também foi descoberto que essas substâncias encontradas no extrato da Tribulus terrestris podem diminuir a proliferação e induzir a morte de células tumorais do câncer de próstata, cólon e fígado. Já os flavonóides da erva, que também estão presentes no vinho e no mel previnem as doenças do coração, melhorando a circulação sanguínea, o que também ajuda a baixar a pressão arterial e auxiliam na absorção da vitamina C.

Os efeitos hormonais da erva medicinal no aumento dos níveis de testosterona livre, DHT e DHEA, hormônios esteróides precursores da testosterona foram avaliados em primatas, coelhos e ratos. Mas a maioria dos estudos feitos com seres humanos não apresentaram diferenças significativas com o uso da Tribulus terrestris no aumento da testosterona, nem no ganho de massa magra.

Mas não desanime! Um destes estudos realizados com praticantes de musculação em uso de Tribulus terrestrisLepidium meyenii Walp (a maca peruana) melhorou o desempenho físico destes homens, o que poderia justificar a contribuição destas plantas para a hipertrofia muscular.

Além disso, os animais submetidos aos estudos com a planta que mostraram efeitos reais, apresentam fisiologia semelhante ao dos seres humanos, o que pode indicar o potencial de seu extrato em seres humanos.

Resumo:

A Tribulus terrestris é conhecida como “viagra natural” entre os seus adeptos, pela alegação de seu efeito no aumento da testosterona, que além de melhorar o desempenho sexual, pode favorecer o aumento da massa muscular.

A planta também conta com substâncias como as saponinas e os flavonóides, antioxidantes que previnem o envelhecimento precoce, controlam os níveis de açúcar no sangue e do colesterol ruim e ainda dificultam a proliferação de células tumorais do câncer de cólon, próstata e fígado, quando consumida em doses adequadas.

Efeitos da tribulus para mulheres

Mas a Tribulus terrestris pode aumentar não só a qualidade da vida sexual e reprodutiva masculina, mas da feminina também!

As mulheres no climatério, por exemplo, apresentam a produção de testosterona reduzida em relação às mulheres mais jovens. Ah, apesar de ser um hormônio encontrado em maior quantidade nos homens a testosterona também está presente no corpo da mulher e tem um papel importante na qualidade da função sexual feminina.

E já que a erva demonstrou ser capaz de elevar os níveis de testosterona em estudos com animais, seu uso pode agir nas disfunções sexuais femininas, promovendo o aumento da libido e melhorando a disfunção do desejo sexual nessas mulheres.

Inclusive, no climatério, que é o período que compreende a fase anterior e posterior à menopausa muitos sintomas desagradáveis como desconforto e distensão abdominal, dor abdominal, diarreia, eructação (arrotos), flatulências (gases), dor de estômago, mau hálito, dor de cabeça, insônia, irritabilidade, instabilidade emocional e pele oleosa costumam surgir e estes também podem ser amenizados.

O hormônio luteinizante, responsável pelo amadurecimento dos folículos, ovulação e produção de progesterona também pode aumentar como o uso da Tribulus terrestris, melhorando a capacidade reprodutiva e contribuindo com o tratamento da infertilidade feminina.

Além disso, um estudo realizado com 60 mulheres após a menopausa com disfunção sexual, demonstrou que após 90 dias usando a erva houve melhora significativa da lubrificação vaginal durante o coito e preliminares, da sensibilidade da região íntima durante a relação sexual ou outros estímulos e na capacidade de ter orgasmos.

Resumo:

A erva pode contribuir não só com a saúde dos homens, mas das mulheres! O uso de Tribulus Terrestris pode aumentar os níveis do hormônio luteinizante que favorece a fertilidade feminina, ajudando as mulheres que desejam engravidar e também pode elevar os níveis de precursores da testosterona livre e seus precursores, em baixa nas mulheres que estão no período climatério, o que contribui com o alívio dos sintomas da menopausa e a melhora da sensibilidade e lubrificação na região genital.

Leia também: Tríade da mulher atleta: já ouviu falar? 

Recomendações e contraindicações

A Tribulus terrrestris é recomendada para ajudar homens com mais de 30 anos que estejam passando por dificuldades na vida sexual como disfunção erétil e falta de energia ou que desejem aprimorar o ganho de massa muscular através dos treinos de hipertrofia, e para mulheres que estejam com dificuldades de engravidar, com a libido baixa ou enfrentando o período da menopausa, para contribuir com o alívio dos sintomas decorrentes desta fase.

No entanto, o uso da planta é contraindicado para gestantes, mulheres amamentando e crianças. A erva consumida durante a gravidez pode provocar mal formações no feto.

Pacientes com hipertensão, diabetes, qualquer tipo de alteração cardíaca, disfunções renais ou hepáticas, em tratamento contínuo de doenças crônicas e portadores de hiperplasia benigna da próstata não devem iniciar o consumo de Tribulus terrestris sem antes consultar um médico.

Os efeitos colaterais desta planta, por seu efeito de aumentar os níveis de alguns hormônios que salientam as características sexuais e atuam como estimulantes, podem incluir dor de cabeça, insônia, irritabilidade, dificuldade de concentração, aumento da oleosidade da pele com o aparecimentos de acnes, distensão abdominal e gases.

Em quantidades excessivas também pode provocar a ginecomastia, caracterizada pelo desenvolvimento de mamas nos homens e promover mutações genéticas que levam ao crescimento de tumores, uma reação rebote ao efeito protetor contra o câncer que a tribulus tem demonstrado possuir quando administrada em quantidades adequadas.

Alguns medicamentos podem interagir com a Tribulus terrestris como os corticóides, uma classe potente de anti-inflamatórios, os estrógenos, utilizados em contraceptivos orais e repositores hormonais, e os androgênios como a testosterona sintética. Então, se você usa algum destes remédios peça para o seu médico avaliar o uso da planta, já que ela pode interferir na eficácia deles, agravar efeitos colaterais ou até mesmo ter seus próprios efeitos anulados.

Ao fazer o uso desta erva, pessoas que estejam em tratamento para a diabetes com anti-glicêmicos orais e/ou insulina injetável podem ter a ação destes medicamentos acentuada e quem toma anti-hipertensivos orais pode sentir que a ação do remédio se intensifique, com a possibilidade de queda de pressão excessiva, mal estar, tonturas ou desmaios.

Resumo:

Tribulus terrestris é recomendada para homens com mais de 30 anos com redução da atividade sexual, disfunção erétil ou falta de energia, e mulheres em idade reprodutiva que desejem engravidar ou no período pós menopausa.

Mas, gestantes, crianças e lactentes tem o uso da planta contraindicado, assim como portadores de doenças crônicas em tratamento e indivíduos com problemas renais, hepáticos e hiperplasia benigna de próstata.

Como usar tribulus terrestris

A planta da espécie Tribulus pode ser utilizada em forma de extrato seco ou em pó das folhas e flores trituradas para fazer o chá, cápsulas, comprimidos ou tintura, que é o extrato líquido concentrado.

A dosagem com concentrações de 70% de saponinas, principal componente responsável pelos efeitos da erva, varia de 85mg a 250mg três vezes ao dia. Mas doses mais elevadas podem ser indicadas chegando até a 2g ao dia, quando a concentração deste princípio ativo da erva for menor, o que deve ser informado pelos fabricantes.

Geralmente as folhas desidratadas preservam mais as concentrações da saponinas, mas o suplementos em cápsulas, por serem fabricados utilizando processos de industrialização e técnicas que preservam as características da erva, também podem fornecer altas doses desse composto. É preciso estar atento, pois a planta pode estar sendo comercializada misturada à outros estimulantes como a cafeína.

O ideal é distribuir o consumo de Tribulus terrestris ao longo do dia, fazendo uso da planta de duas a três vezes por dia cerca de 45 minutos antes das principais refeições. Porém, se o objetivo for melhorar o desempenho sexual, a erva pode ser consumida em uma dose única em horário próximo ao do jantar ou antes da hora de dormir.

Para fazer o chá utilize 1 colher de sopa das folhas picadas para cada xícara de água (200mL) e tome 3 ou 4 xícaras por dia. Se for consumir a versão em cápsulas ou comprimidos, siga a dosagem e frequência de consumo indicada na bula ou embalagem, que pode se alterar de acordo com a concentração do princípio ativo da planta.

O mais comum é utilizar um comprimido, três vezes ao dia de 8 em 8 horas e estudos conduzidos em mulheres com a libido baixa constataram bons resultados com a administração de 750mg do extrato da planta divididos em 3 comprimidos de 250mg por dia.

Tribulus terrestris pode ser encontrada em farmácias tradicionais ou de manipulação, lojas de suplementos ou de produtos naturais nas mais diversas apresentações.

Agora que você já sabe tudo sobre este estimulante sexual natural que pode trazer benefícios para homens e mulheres, conheça também a maca peruana, outro “produto da natureza” que pode ajudar no tratamento de disfunções sexuais e da infertilidade e, se precisar, utilize essas plantas medicinais com consciência e é claro, acompanhamento médico sempre!

Lembre-se que os resultados obtidos com o consumo de Tribulus terrestris podem variar de pessoa para pessoa e mais estudos realizados com humanos são necessários para confirmar sua eficácia em relação à disfunção erétil masculina e sua ação no aumento da massa muscular. O uso de qualquer planta medicinal deve ser realizado com a indicação e orientação de profissional de saúde qualificado e acompanhado de uma alimentação equilibrada e a prática regular de exercícios físicos.

Leia também: Gymnema sylvestre – o que é, benefícios e como usar!

Referências:

  1. Pereira, M.A.O. et al. Influência do uso de Lepidium Meyenii Walp. e Tribulus Terrestris em praticantes de musculação. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo. v. 11. n. 67. Suplementar 1. p.836-842. Jan./Dez. 2017. Disponível em: http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/910
  2. Salgado, R.M. et al. Efeito da administração oral do extrato de Tribulus terrestris sobre a qualidade do sêmen e o índice de gordura corporal de homens inférteis. International Journal of Andrology, v. 49, ed. 6. jun.2017. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/and.12655
  3. Pourali M, MM Yaghoobi, Salehi Sormaghi M. H. Efeitos citotóxicos, anti-proliferativos e apoptóticos deTribulus terrestris L. Extrato de frutas no câncer de próstata humano Lncap e câncer de cólon Linhas celulares HT-29, Jundishapur J Nat Pharm Prod. 2017; 12 (2): e33561. doi: 10.5812/ jjnpp.33561. Disponível em: http://jjnpp.com/en/articles/55299.html
  4. Postigo, S. et al. Avaliação dos efeitos do Tribulus Terrestris na sexualidade de mulheres no climatério. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. [online]. 2016, vol.38, n.3, p.140-146. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-72032016000300140&script=sci_abstract&tlng=pt
  5. Souza, M.R.L. Fitoterápicos e ação ergogênica: evidências científicas. Revista Brasileira de Nutrição Clínica Funcional – ano 14, nº60, 2014. Disponível em: https://www.vponline.com.br/portal/noticia/pdf/b56d3051f22010925a99488d7441ecfd.pdf
  6. Singh S, Nair V, Gupta YK. Avaliação da atividade afrodisíaca de Tribulus terrestris Linn. em ratos albinos machos sexualmente lentos. J Pharmacol Pharmacother 2012; 3: 43-7. Disponível em: http://www.jpharmacol.com/article.asp?issn=0976-500X;year=2012;volume=3;issue=1;spage=43;epage=47;aulast=Singh;type=3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *