Aloe Vera ou Babosa: O que é, benefícios e como utilizar

O que é Aloe Vera ou Babosa

Aloe Vera, conhecida popularmente como babosa, é uma planta nativa do norte da África, e habita os desertos e estepes africanas.

É utilizada há muito tempo em diversas partes do mundo para fins medicinais e cosméticos. Além disso, tradicionalmente tem sido usada como alimento (suco) há mais de três mil anos.

Da região central das suas folhas, obtêm-se um gel mucilaginoso com aparência viscosa e incolor que recebe o nome de gel de Aloe Vera. Constitui-se principalmente por água e polissacarídeos, além de 70 outros componentes, tais como, vitamina A, B, C e E, cálcio, potássio, magnésio e zinco, diversos aminoácidos, enzimas e carboidratos.

As principais atividades biológicas atribuídas ao gel são: antimicrobiana, antioxidante, anti-inflamatória, auxilia a melhorar o sistema de defesa do organismo, cicatrizante, hidratante, dentre outras.

Resumo

Aloe Vera, conhecida popularmente como babosa, é uma planta nativa do norte da África, e habita os desertos e estepes africanas.

As principais atividades biológicas atribuídas ao seu gel são: antimicrobiana, antioxidante, anti-inflamatória, auxilia a melhorar o sistema imunológico, cicatrizante, hidratante, dentre outras.

Benefícios da Babosa

Dentre os benefícios associados ao uso da babosa podemos citar:

Hidratação: ao penetrar profundamente nas três camadas da pele (derme, epiderme e hipoderme), graças à presença de substâncias presentes no gel de babosa (ligninas e polissacarídeos), ela restitui os
líquidos perdidos, tanto naturalmente como por deficiências de equilíbrio ou danos externos, reparando os tecidos de dentro para fora nas queimaduras (sol e fogo), fissuras, cortes, ralados, esfolados e perdas de tecidos.

Além disso, os polissacarídeos da Aloe Vera contêm hidrogênio e Ormus concentrados, que aumentam a hidratação e aceleram a cura dos tecidos; eles também diminuem o envelhecimento e ajudam o rejuvenescimento das articulações. Os polissacarídeos também podem estimular a produção de colágeno, que retém a umidade, resultando em uma pele de aparência mais jovem.

Já o enxofre contido nesta planta apresenta-se em formas similares eficientes para hidratar tecidos secos e rígidos (com perda de colágeno, com rugas, endurecimento dos órgãos, etc), restaurando assim a irrigação, elasticidade e flexibilidade.

Inibição da dor: os princípios ativos da Aloe Vera têm uma notável capacidade de penetração até os planos mais profundos da pele, inibindo e bloqueando as fibras nervosas que funcionam como receptores da dor. Desta forma, a babosa possui propriedades capazes de interromper de modo reversível a condução dos impulsos. Além disso, reduz a dor por possuir uma poderosa ação anti-inflamatória.

Ação anti-inflamatória: a Aloe Vera tem uma ação anti-inflamatória muito potente (similar a dos anti-inflamatórios esteroidais), mas sem seus efeitos colaterais, por isso é útil em problemas como bursites, artrites, lesões, golpes, mordidas de insetos e outros.

Ação regeneradora: a babosa também auxilia o restabelecimento do equilíbrio fisiológico, com ação regeneradora, tônica e emoliente, age diretamente nas diferentes camadas da pele. Devido à sua ação enzimática, proporciona grande poder de penetração, nutrição, ideal para o crescimento e reprodução das células, auxiliando o organismo no constante processo de desintoxicação.

Através desta ação, o processo de penetração nas células aumenta, contribuindo para a remoção de células mortas. Consequentemente, os poros ficam limpos, permitindo uma absorção maior de oxigênio vital à regeneração celular.

Trabalhos divulgados recentemente apresentam o extrato de Aloe Vera 5:1 como potencializador da absorção da vitamina C pela pele, melhorando assim sua biodisponibilidade e concentração nas camadas mais profundas, com melhores resultados terapêuticos.

Aloe Vera estimula a circulação sanguínea, aumentando a tonicidade da pele. Os nutrientes contribuem para manter a elasticidade dos músculos, produzindo flexibilidade, tonificação, hidratação e proteção à pele. Sua ação adstringente torna a pele firme, mantém a umidade natural, pH balanceado e melhor tonicidade.

Energética e nutritiva: uma das propriedades mais importantes da Aloe Vera tem haver com os 19 aminoácidos essenciais presentes em sua composição, necessários para a formação e estruturação das proteínas que são à base das células e tecidos, e também minerais como cálcio, fósforo, cobre, ferro, manganês, magnésio, potássio e sódio, todos os elementos indispensáveis para o metabolismo e atividade celular.

Resumo

Dentre os benefícios da babosa podemos citar:

  • Hidratação;

  • Inibição da dor;

  • Ação anti-inflamatória;

  • Ação regeneradora;

  • Propriedades energética e nutritiva.

Formas de utilização

A maneira mais comum de se consumir a babosa é na forma de suco, porém também é muito utilizada em cremes para pele, shampoos e máscaras para hidratação, possuindo vários benefícios para a pele e para os cabelos.

Também é possível encontrar diferentes concentrações de extratos de Aloe Vera para uso externo.

Dosagem dos extratos e modo de usar:
– Extrato seco 5:1: uso tópico, de 3 a 10% em cremes, géis e loções.
– Extrato seco 200:1: uso tópico, de 0,5 a 3% em cremes, géis e loções.
– Extrato glicólico: uso tópico, de 2 a 6% em cremes, géis e loções.

Resumo

A maneira mais comum de se consumir a babosa é na forma de suco, porém também é muito utilizada em cremes para pele, shampoos e máscaras para hidratação, possuindo vários benefícios para a pele e para os cabelos.

Precauções e contraindicações

Primeiramente, é importante esclarecer que antes de iniciar o uso de qualquer planta que tenha algum princípio ativo sobre o nosso corpo é essencial que você consulte um médico ou farmacêutico, os quais serão os profissionais competentes para esclarecer a função e real necessidade do uso.

Com relação às precauções e contraindicações do uso de Aloe Vera, listamos abaixo algumas das principais:

  • Mulheres grávidas ou em período de amamentação devem evitar o suco ou látex de Aloe, já que alguns de seus componentes podem passar para o leite materno e implicar em complicações;
  • É importante destacar também o poder laxante da Aloe Vera, de modo que as pessoas que estão seguindo um tratamento médico, para facilitar o trânsito intestinal devem prestar especial atenção, assim como qualquer pessoa, deve-se evitar tomar o suco em excesso, uma vez que diarreia pode implicar em perda de minerais como o potássio, que pode até levar à desidratação;
  • Não deve ser fornecido por via oral suco de Aloe – nem nenhum de seus derivados – às crianças menores de 12 anos. Caso contrário, podem ocorrer como efeitos secundários intoxicações com dor de estômago, diarreia, etc;
  • Os diabéticos devem ter cautela ao fazer uso da babosa ou Aloe Vera, já que seu consumo reduz os níveis de glicose no sangue e pode provocar uma hipoglicemia. Aqueles que tomam medicamentos para regular o açúcar no sangue são os que correm mais risco de interferência com os remédios;
  • Combinar Aloe Vera internamente com medicamentos anticoagulantes ou para outras doenças do aparelho circulatório e cardiovascular pode ser muito perigoso, uma vez que a babosa fluidifica o sangue e pode causar sangramento. Pelo mesmo motivo, pessoas que utilizem outros remédios naturais para evitar que o sangue se coagule não devem combiná-lo com Aloe;
  • Foi demonstrado também que o látex da babosa e outros derivados desta planta podem causar irritação no intestino, de modo que é contraindicado às pessoas com problemas como colon irritável, colite, obstrução intestinal, doença de Crohn, etc.

Resumo

Antes de iniciar qualquer tratamento consulte seu médico!

Dentre as precauções e contraindicações para o uso da babosa, temos que:

  • Mulheres grávidas ou em período de amamentação devem evitar o consumo da babosa;

  • É importante destacar seu poder laxante, que quando consumida em quantidades elevadas pode acarretar graves diarreias;

  • Não deve ser fornecido por via oral suco de Aloe às crianças menores de 12 anos;

  • Os diabéticos devem ter cautela ao fazer uso da babosa ou Aloe Vera, bem como pessoas em tratamento com medicamentos anticoagulantes e pessoas com doenças intestinais.

Referências:

  1. Freitas, V.S., Rodrigues, R.A.F., Gaspi, F.O.G. Propriedades farmacológicas da Aloe vera (L.) Burm. f. Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, v.16, n.2, p.299-307, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbpm/v16n2/20.pdf
  2. Parente, L. M. L., Carneiro, L. M., Tresvenzol, L. M. F., Gardin, N. E. Aloe vera: botanical, phytochemical and therapeutic characteristics. Arte Médica Ampliada Vol. 33 | N. 4 | Out. Nov. Dez. 2013. Disponível em: http://abmanacional.com.br/arquivo/b6cd193b5e9142a17b7ef973e1517676e0cd6064-33-4-aloe-vera.pdf
  3. Florien. Aloe Vera.  Disponível em: http://florien.com.br/wp-content/uploads/2016/06/ALOE-VERA-4.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *