Benefícios da arnica para a saúde e como usar

O uso de plantas medicinais no tratamento das doenças é descrito há muitos anos!

Existem no Brasil muitas plantas sendo usadas para fins medicinais na forma de chás, pós e raízes…

Com esta grande variedade de plantas para utilização terapêutica popular, destaca-se a arnica, que vem sendo empregada para distensões, hematomas, e todos os tipos de contusões.

O que é e para que serve a arnica?

A Arnica montana L. é uma planta originária das regiões montanhosas do norte da Europa!

Existe uma variedade de plantas chamadas popularmente de arnica, entretanto, na verdade, existem espécies diferentes com os mesmos fins terapêuticos.

A variedade dos produtos a base de arnica presentes no mercado explica a diversa empregabilidade desta planta, na forma de sabonetes para limpeza de partes contundidas, conservando a pele macia, melhorando as rachaduras e asperezas; creme dental; óleo tônico capilar; entre outros.

De acordo com os estudiosos do assunto, as suas aplicações terapêuticas estão relacionadas em casos de:

  • contusões;
  • hematomas;
  • entorses;
  • edemas;
  • fraturas;
  • doenças nas articulações e reumatológicas;
  • dores relacionadas ao nervo ciático;
  • bursites;
  • dores musculares;
  • pré e pós-operatório.

Pode ser usada também para furúnculos e picadas de insetos devido a sua ação anti-séptica. Nos casos agudos pode ser utilizado na forma injetável. Nos casos menos graves, pode-se usar arnica por via oral em diluição ou glóbulos.

As formas para uso tópico são utilizadas em dores ou inflamações localizadas, hematomas e pequenos edemas!

O uso interno está condicionado à orientação médica, uma vez que dependendo da dose pode ser tóxica! Nesta forma é usada, por exemplo, para problemas cardíacos, derrames e outros.

Os princípios ativos responsáveis pelas suas ações farmacológicas são a rutina, quercetina e hesperidina, às quais pertencem a classe de fármacos conhecida com flavonoides.

No Brasil temos a erva-lanceta, Solidago chilensis (S. microglossa), considerada a arnica brasileira, que possui as mesmas propriedades da arnica européia. A vantagem é que a “nossa” não é tóxica.

Resumo

A Arnica montana L. é uma planta originária das regiões montanhosas do norte da Europa.

A forma mais utilizada da arnica é via uso tópico para: dores musculares, contusões, dor nas articulações e inchaço, além da inflamação. Seu uso interno está condicionado à orientação médica, uma vez que dependendo da dose pode ser tóxica! Nesta forma é usada, por exemplo, para problemas cardíacos, derrames e outros.

Benefícios da arnica para a saúde

A arnica é comumente usada para tratar contusões, por isso é popular entre as pessoas que passaram recentemente por cirurgias, especialmente cirurgias plásticas.

Embora a pesquisa científica seja inconclusiva sobre os benefícios da arnica e para que serve, a pomada de arnica, seu gel e chá são conhecidos por ajudar no combate a dor e tratamento de hematomas na pele.

Um estudo de 2006 realizado com pessoas que foram submetidas a uma ritidoplastia (cirurgia plástica para reduzir as rugas) mostrou que a arnica homeopática otimizou significativamente a cura das lesões.

Um outro estudo, publicado pela plataforma PubMed, concluiu que a arnica é eficaz no tratamento de várias condições pós-operatórias, incluindo inchaço, hematomas e dor.

Recomendações de uso

Se o uso da arnica será feito para tratar a dor, a mesma não deve ser tomada por via oral. Para obter os benefícios da arnica é indicado realizar a aplicação do gel ou pomada no local da dor. Não é recomendado ingerir arnica sem recomendação e orientação médica, pois como dissemos anteriormente, ela apresenta efeitos tóxicos que podem até ser fatais.

Por orientação e prescrição de um médico você poderá utilizar a arnica via oral. Normalmente, se faz o uso desse fitoterápico na homeopatia, na qual a diluição dos princípios ativos é muito grande, minimizando assim os efeitos tóxicos.

Chá de Arnica

Para preparar o chá de arnica para uso externo você vai precisar de um punhado de flores de arnica fresca e quatro colheres de sopa de água.
Ferva a água, desligue o fogo, coloque as flores e deixe tampado durante cerca de cinco minutos. Pronto, se não estiver muito quente você já pode usar para fazer compressa de arnica nas regiões doloridas.

Cuidados e contraindicações

Como qualquer outro medicamento, as plantas medicinais são extremamente úteis para tratar determinadas doenças, mas também podem ser contraindicadas para outras.

A arnica é especialmente recomendada para uso externo, podendo ser recomendada para uso interno nas formas farmacêuticas homeopáticas, manipuladas em farmácias magistrais ou ainda em indústrias farmacêuticas, de forma criteriosa, a fim de garantir a sua eficácia e segurança do medicamento fitoterápico, conforme prevê a RDC Nº 46, 13/05/2014, uma vez que a sua ingestão na forma farmacêutica farmacognóstica de infusões ou popularmente conhecida como chás, apresentam elevada toxicidade.

Não é recomendado aplicar arnica em ferimentos ou usá-la por longos períodos de tempo, pois pode causar irritação na pele. Além disso, é recomendado que gestantes ou mulheres que estejam amamentando consultem um(a) médico(a) antes de usar arnica.

Algumas pessoas podem ter reações alérgicas ou hipersensibilidade à arnica. Se isso ocorrer, você deve informar ao seu médico imediatamente e seguir rigorosamente as orientações dele. Pessoas alérgicas ou hipersensíveis a qualquer planta da família Asteraceae devem evitar o uso de arnica. 

Leia também: Psyllium: o que é, benefícios, como utilizar e onde comprar?

Referências:

  1. Iannitti, T., Morales-Medina, J.C., Bellavite, P., Rottigni, V., Palmieri,  B. Effectiveness and Safety of Arnica montana in Post-Surgical Setting, Pain and Inflammation. Am J Ther. 2016 Jan-Feb;23(1):e184-97. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25171757
  2. Brook, M., Seeley, M.D., Andrew, B.,  Denton, M.D., et al. Effect of Homeopathic Arnica montana on Bruising in Face-liftsResults of a Randomized, Double-blind, Placebo-Controlled Clinical Trial. JAMA facial plastic surgery., jan, 2006. Disponível em: https://jamanetwork.com/journals/jamafacialplasticsurgery/fullarticle/480929
  3. Silva, G. da, Ranieri, I., Moura, R. M. X. de. REVISÃO LITERÁRIA DA ARNICA MONTANAL: AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES E CONHECIMENTO DO SEU USO. XIIJornada Científica
    Faculdades Integradas de Bauru – FIB, 2017. Disponível em: http://fibbauru.br/custom/561/uploads/Farmacia.pdf
  4. Ministério da Saúde. ANVISA. RDC n°46. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2014/rdc0026_13_05_2014.pdf.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *