Benefícios da glutamina para a sua saúde

Como suplementar com glutamina

A glutamina é um tipo de aminoácido, que nada mais são do que os componentes que formam as proteínas.

Os aminoácidos são classificados, nutricionalmente, como aminoácidos não essenciais, aqueles que o corpo é capaz de produzir, e em aminoácidos essenciais, os quais o corpo é incapaz de produzir, e devem ser ingeridos através da alimentação.

No entanto, depois de muito estudada, a glutamina foi classificada como um aminoácido condicionalmente essencial, ou seja, um aminoácido produzido pelo organismo, mas que em algumas situações, como estresse, excesso de exercícios físicos, má alimentação, problemas intestinais ou imunidade baixa, pode ter os estoques reduzidos, sendo necessário ser reposto através da alimentação ou da suplementação.

A glutamina é o aminoácido livre mais abundante no plasma e tecido muscular, sendo assim, os benefícios da glutamina e sua adequação na dieta proporcionam diversos benefícios à saúde, tanto para pessoas que querem apenas melhorar a sua qualidade de vida, quanto para pessoas que praticam atividade física diariamente.

Vamos conhecer os benefícios desse aminoácido para a sua saúde?

Benefícios da glutamina em nosso organismo

De maneira geral, a glutamina é muito importante para pessoas que apresentem qualquer forma de disbiose intestinal, um transtorno no qual as bactérias da flora intestinal se desequilibram, tendo como causas a exposição a remédios, consumo de álcool em excesso, dieta inapropriada e estresse, ou mesmo para pessoas que possuem alguma doença.

A glutamina é um dos principais nutrientes para manter a função de barreira ou permeabilidade intestinal em humanos. Neste quesito, conforme revisões da literatura científica, a sua depleção resulta em atrofia de vilosidades intestinais (dobras da camada epitelial dos intestinos) , diminuição da expressão de proteínas e aumento da permeabilidade intestinal. As vilosidades, ampliam a área de contato, assim aumentando a absorção dos nutrientes após a digestão.

Ademais, por ser o principal substrato energético para as células de divisão rápida, como enterócitos e células imunes, esse aminoácido participa ativamente do sistema de defesa do corpo. A glutamina é o principal combustível para linfócitos, macrófagos e fibroblastos.

Ainda, estudos científicos demonstraram outros benefícios com o consumo equilibrado de glutamina, entre eles, destacam-se:

  • Ação anti-inflamatória, pois ajuda a reduzir a inflamação por todo o corpo;
  • É imunoprotetora, ou seja, auxilia para o correto funcionamento do sistema de defesa do corpo, afinal, as células do sistema imune necessitam de glutamina para a manutenção de suas funções. Sabendo que o exercício físico induz o aumento da atividade dessas células, a correlação entre glutamina e sistema imune tem sido muito estudada;
  • Promove a recuperação muscular, principalmente após a atividade física. A suplementação de glutamina, após exercício de alta intensidade, parece promover o aumento dos estoques de glicogênio muscular, o que beneficia a recuperação de lesões induzidas pelo exercício;
  • Ajuda na perda de peso e reduz os “ataques de fome”, pois ajuda no controle da ansiedade;
  • Importante no metabolismo das proteínas, pois tem como função a síntese ( ou produção) proteica;
  • Aumenta a secreção do GH (hormônio do crescimento), que ajuda a metabolizar gordura corporal e dar suporte ao crescimento muscular;
  • Regula o pH do fígado;
  • Melhora o funcionamento do cérebro e, consequentemente, as questões cognitivas;
  • Promove agilidade, foco, memoria e funcionamento intelectual em geral;
  • Estabiliza os níveis de açúcar (glicose) no corpo;
  • Fundamental para a manutenção de uma mucosa intestinal saudável. Juntamente com probióticos de boa qualidade, uma alimentação rica em fibras e uma correta hidratação, reestabelece o intestino.

O equilíbrio da microbiota (flora intestinal) é fundamental para assegurar a saúde intestinal, no entanto, alguns microrganismos interferem diretamente na integridade das células, podendo alterar a permeabilidade da membrana intestinal, modificando a capacidade de digestão e absorção de nutrientes, além de causar inflamações crônicas da mucosa.

Atividade física X Microbiota intestinal

A revista Journal of the International Society of Sports Nutrition publicou uma revisão científica, a qual analisou evidências sobre a interação do estresse induzido pela atividade física e a microbiota intestinal, assim como o seu efeito na saúde e desempenho de atletas de ponta.

A suplementação com glutamina, segundo os pesquisadores, pareceu inibir o estresse intestinal induzido e a inflamação.

Portanto, a glutamina pode ser considerada uma opção de suplemento para atletas, no entanto, são necessários mais estudos sobre sua ação preventiva da supressão do sistema imune.

Quais alimentos contêm glutamina?

Além de pensarmos em sua suplementação, é sempre bom lembrar que a glutamina está presente naturalmente em diversos alimentos de origem animal e de origem vegetal, veja só:

  • Carnes em geral (de boi, aves, de porco)
  • Peixes
  • Ovos
  • Leites, queijos e iogurtes
  • Leguminosas (feijão, ervilha, lentilha e favas)
  • Verduras e legumes (repolho, beterraba, espinafre, couve)

Mantendo uma alimentação variada e balanceada é possível proporcionar ao corpo um sistema imunológico saudável e uma microbiota intestinal equilibrada!

Nunca se esqueça: antes de iniciar qualquer tipo de suplementação alimentar é muito importante perceber se as deficiências nutricionais encontradas em seus exames laboratoriais não podem ser sanadas apenas com a melhora da sua alimentação. Procure sempre um nutricionista!

E agora, confira o nosso texto: “Diferenças entre glutamina, creatina e BCAA”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *