Cassiolamina: Para que serve, como usar e dosagens

A Cassiolamina é uma ótima aliada para o emagrecimento, pois ajuda a “inibir” a absorção de gorduras da alimentação pelo organismo. Dessa forma, além de ajudar no controle de peso, também auxilia no controle dos níveis de colesterol e triglicerídeos, melhorando a circulação sanguínea e beneficiando o coração.

Além disso, a Cassiolamina é um potente diurético que auxilia na diminuição dos inchaços e também diminui os níveis de ácido úrico no organismo.

O ideal é consumi-lá antes das principais refeições como o café da manhã, almoço e jantar. No entanto, é importante tomar cuidado com a dosagem para não ultrapassá-la e causar os efeitos colaterais, sendo que o principal deles é a diarreia com fezes oleosas. Além disso, é necessário a suplementação de vitaminas lipossolúveis (vitaminas A, D, E e K) junto ao consumo da Cassiolamina.

O que é e para que serve a Cassiolamina

A Cassiolamina é extraída da planta leguminosa Cassia nomame e é muito encontrada no Japão.

A planta contém cinco compostos flavonóides com potencial para inibir a quebra e digestão de gordura no organismo, o que promove a perda de peso de modo seguro e eficaz.

Auxilia também no emagrecimento devido à presença de inibidores da lipase, ou seja, diminui a digestão e absorção das gorduras na dieta. Além disso, a Cassiolamina poderia reduzir a pressão arterial, o ácido úrico e os níveis de colesterol.

Benefícios de usar a Cassiolamina

1. Ajuda na perda de peso

O seu maior benefício é a perda de peso, pois a Cassiolamina interfere na absorção de gorduras.

2. Anti-inflamatória

A cassiolamina é rica em catequinas e flavonóides que possuem poder anti-inflamatório e ajudam a aliviar os inchaços e as inflamações, tais como artrites. Além disso, a Cassiolamina ajuda nos processos de cicatrização dos tecidos.

3. Diurética

A Cassiolamina aumenta o fluxo da urina, pois estimula o funcionamento dos rins, e assim, ajuda na diminuição dos inchaços corporais.

4. Ajuda a diminuir os níveis de ácido úrico

O ácido úrico vêm da quebra de moléculas de purina, porém, se houver excesso de ácido úrico, haverá acúmulo de cristais que se depositam principalmente nas articulações, ocasionando inflamação, inchaços e dores.

Por isso, se houver o consumo da Cassiolamina que é naturalmente um potente diurético, haverá uma maior excreção de ácido úrico pela urina e dessa forma, diminuirá os níveis de ácido úrico no organismo.

5. Melhora os níveis de colesterol

Como já vimos, a Cassiolamina ajuda a reduzir a absorção das gorduras ingeridas, portanto, ela também auxilia na redução dos níveis de colesterol total e de triglicerídeos no sangue.

6. Melhora a imunidade

A Cassiolamina, por ser rica em antioxidantes, protege o organismo e, com isso, auxilia na melhora da imunidade.

7. Melhora a digestão

Por ser rica em catequinas e flavonóides, que auxiliam na melhora das funções digestivas e, consequentemente, há uma melhor absorção de nutrientes.

8. Melhora a saúde cardiovascular

Como a Cassiolamina diminui a absorção de gorduras, então ela também diminui a possibilidade de formação de placas de gordura nas artérias e, dessa forma, melhora a circulação sanguínea.

Além disso, a Cassiolamina é rica em antioxidantes, ou seja, além de diminuir as gorduras, ainda combate os radicais livres que prejudicam o organismo.

Quais seus benefícios para o emagrecimento?

A Cassiolamina “interrompe” o processo de absorção de gorduras ao inibir a ação da enzima lipase, a enzima responsável pela quebra das gorduras para que sejam absorvidas pelo organismo. Portanto, não quebrando a molécula de gordura, ela permanece em seu estado original e não consegue ser digerida e absorvida pelo trato digestivo.

Entende-se que ao inibir à ação da lipase ocorra o bloqueio da absorção de gorduras e, dessa forma, ajuda as pessoas a perderem peso e a mantê-lo, evitando que o peso perdido seja ganho novamente.

Um estudo de 1997 da Universidade de Okayama no Japão, indicou que o extrato da Cassia nomame é um potente inibidor da lipase, pois um dos flavonóides da Cassiolamina inibiu a digestão de cerca de 30% das moléculas de gorduras.

Uma das desvantagens de consumo da Cassiolamina é que ela interfere na absorção de vitaminas lipossolúveis como A, D, E e K, muito importantes para o nosso organismo. Por isso, recomenda-se uma suplementação das mesmas: deve-se tomar pelo menos duas horas antes ou após o uso dos inibidores da lipase.

Aliás, a Cassiolamina não deve ser usada por períodos muito longos e deve ser intercalado com intervalos de suspensão de uso.

Além do mais, não adianta só consumir a Cassiolamina se não houver mudanças na alimentação, principalmente na diminuição do consumo de alimentos gordurosos, frituras, refrigerantes, doces, embutidos, entre outros. E lembrando sempre de associar à prática de uma atividade física com regularidade!

Resumo: 

Ao inibir a ação da enzima que é responsável pela quebra das gorduras para que sejam absorvidas pelo organismo, a Cassiolamina faz com que as gorduras sejam eliminadas nas fezes e assim, o resultado pode ser o emagrecimento.

Entretanto, é importante a suplementação de vitaminas lipossolúveis como a A, D, E e K, pois a Cassiolamina acaba interferindo na absorção destas.

Além do mais, o consumo da Cassiolamina nunca deve ser feito por longos períodos e sempre deve ser intercalado com intervalos de suspensão de uso.

Dosagens e contraindicações do uso

A Cassiolamina é consumida na forma de extrato seco da planta e é apresentada na forma de pó ou cápsulas.

A recomendação de dosagem vai de 200 mg a 600 mg divididos em 3 vezes ao dia e deve ser consumida antes das refeições.

Como ainda não foi estabelecida uma dosagem segura da Cassiolamina para crianças e adolescentes, é contraindicada para essas fases da vida, assim como para mulheres grávidas e mulheres que estão amamentando.

Além disso, também é contraindicada para pessoas com problemas cardíacos, diabetes, dores de cabeça, problemas de tireoide, pressão alta, depressão, próstata aumentada, glaucoma ou com condições psiquiátricas.

Efeitos Colaterais

O efeito colateral mais comum é a diarreia com fezes oleosas, pois como há a inibição da lipase, as moléculas de gordura ficam inteiras e são eliminadas juntas com as fezes. Além disso, outros efeitos colaterais que podem acontecer são: o aumento excessivo do fluxo de urina e doenças gastrointestinais.

Por isso, é sempre importante consultar antes um médico ou nutricionista para ter um orientação correta do uso da Cassiolamina!

E lembre-se: aprender a se alimentar de forma saudável e equilibrada, além de praticar exercícios físicos diariamente, é sempre o melhor “remédio”!

Leia também: Citrus aurantium: o que é e como usar!

Referências:

  1. BOORHEM, R. L.; LAGE, E. B. Drogas e extratos vegetais utilizados em fitoterapia. Revista Fitos, vol. 4, n. 01. Junho, 2009. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/19165/2/3.pdf.
  2. GUERRA, E. S.; et al. Fitoterapia no controle e prevenção da obesidade. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade do Vale do Itajaí. 2010. Disponível em: http://siaibib01.univali.br/pdf/Elimara%20Sales%20Guerra%20e%20Michele%20Daiane%20Arent.pdf.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *