Dieta do tipo sanguíneo: Como funciona, benefícios e como fazer

A dieta do tipo sanguíneo prega que o tipo de sangue de cada um de nós, seja ele A, B, O ou AB influencia a forma como o corpo reage aos alimentos e seus nutrientes, e determina quais seriam os alimentos certos para favorecer o seu tipo metabólico, ajudando a emagrecer e melhorar o bem-estar.

Assim, de acordo com a teoria, alguns grupos de alimentos como as carnes ou os legumes e verduras deveriam ser priorizados para que o organismo funcione melhor e se torne mais forte contra as doenças.

Interessante, não é? Confira agora como essa dieta funciona, seus benefícios ou desvantagens para a saúde e como praticá-la no dia a dia!

O que é a dieta pelo tipo metabólico e sanguíneo

Primeiro vamos entender o que é tipo metabólico e tipo sanguíneo!

O médico Wilson Rondó, analisando como os genes poderiam influenciar na forma como o corpo reage à dieta, definiu os três principais tipos metabólicos que funcionariam melhor personalizando a dieta com os alimentos ideais, e os não tão favoráveis assim para cada um deles. São estes os tipos: carboidrato, proteína e misto.

No livro “Emagreça e Apareça! Descubra seu tipo metabólico”, o nutrólogo propõe um teste que aborda algumas perguntas sobre os seus hábitos alimentares e te ajuda a descobrir o seu perfil metabólico. Descubra qual é o seu:

Marque verdadeiro (V) ou falso (F) em cada uma das questões. Se em alguma delas não encontrar uma alternativa que se aplique ao seu caso pode deixar em branco.

Teste 1

1. Sempre tenho fome no café-da-manhã
( ) V ( ) F
2. Na hora do almoço, meu apetite desperta
( ) V ( ) F
3. Tenho bastante fome no jantar
( ) V ( ) F
4. Não consigo ficar mais de quatro horas sem comer
( ) V ( ) F
5. Fazer um lanche entre as refeições me deixa bem
( ) V ( ) F
6. Penso em comida o tempo todo
( ) V ( ) F
7. Fico mais bem disposta quando como carne ou peixe
( ) V ( ) F
8. Refeição sem carne não mata minha fome
( ) V ( ) F
9. Carne ou alimentos gordurosos me dão energia
( ) V ( ) F
10. Troco facilmente o doce por salgado
( ) V ( ) F

Marque 1 ponto para cada alternativa que respondeu falso e multiplique por 2, faça o mesmo com as verdadeiras.

Total falso: ___ Total verdadeiro: ___

Teste 2

1. Não consigo ficar em jejum
( ) V ( ) F
2. Comer antes de dormir melhora meu sono
( ) V ( ) F
3. Beber suco de laranja pela manhã me faz mal
( ) V ( ) F
4. Ficar à base de fruta não me satisfaz
( ) V ( ) F
5. Café me deixa acelerada
( ) V ( ) F
6. Meus olhos e/ou nariz costumam ficar úmidos
( ) V ( ) F
7. Faço xixi várias vezes ao dia
( ) V ( ) F
8. Tenho que tossir com freqüência para limpar minha garganta
( ) V ( ) F
9. Gosto de dormir até mais tarde
( ) V ( ) F
10. Quando me corto, a ferida cicatriza rápido
( ) V ( ) F

Marque 1 ponto para cada item assinalado.

Total falso: ___ Total verdadeiro: ___

Agora some as respostas da parte 1 e 2.

FALSO (parte 1) + FALSO (parte 2) = ___

VERDADEIRO (parte 1) + VERDADEIRO (parte 2)= ___

RESULTADO

Se o total de respostas falsas for maior ou igual a 18, seu tipo metabólico é CARBOIDRATO. A proporção ideal para o seu perfil seria de 60% de carboidratos, 25% de proteínas e 15% de gorduras do total calórico consumido no dia.

Se o total de respostas verdadeiras for igual ou maior a 18, seu tipo metabólico é PROTEÍNA. A proporção ideal para o seu perfil seria de 30% de carboidratos, 40% de proteínas e 30% de gorduras.

Se o total de respostas falsas e verdadeiras for menor de 18 seu tipo metabólico é MISTO. A proporção ideal para o seu perfil seria de 50% de carboidratos, 30% de proteínas e 20% de gorduras.

Compreenda o que são os carboidratos, proteínas e gorduras e exemplos de alimentos ricos em cada um destes nutrientes.

Agora vamos ao tipo sanguíneo!

Os tipos sanguíneos são uma espécie de “família” do sangue, que são formados por antígenos (substâncias que o organismo considera entranhas e contra as quais começa a produzir anticorpos para se defender) que foram herdados da mãe, do pai ou de ambos e poderão ser transmitidos para as próximas gerações.

O médico e cientista austríaco Karl Landsteiner descobriu que haviam esses diferentes tipos sanguíneos e que por isso, quando uma pessoa recebia sangue com um antígeno diferente ou incompatível com o seu, desenvolvia doenças que em muitos casos levavam à morte. Então Landsteiner criou o sistema ABO, que classificava os tipos sanguíneos em A, B e O, e mais tarde os pesquisadores Decastello e Sturli identificaram o tipo AB, o que possibilitou salvar milhões de vidas realizando transfusões de sangue apenas entre pessoas compatíveis.

Baseado nos tipos sanguíneos e em como isso influenciaria na forma como o corpo reage à diferentes alimentos e seus nutrientes foi criada a dieta do tipo sanguíneo pelo Dr. Peter D’Adamo, adepto da medicina natural que relatou seus estudos em seu livro “A dieta do tipo sanguíneo“.

Segundo o autor:

  • Pessoas de sangue tipo O se dão bem com exercícios físicos intensos e proteína animal. A dieta desse tipo sanguíneo dever ser restrita no consumo de cereais, pães e leguminosas (feijões, ervilha, lentilha, grão de bico).
  • Pessoas de sangue tipo A devem adotar uma dieta vegetariana.
  • Já a dieta para o sangue tipo B deve ser a mais variada de todos os tipos sanguíneos, sendo que carne e leites podem ser inclusos em sua dieta, entretanto, o milho, o trigo-sarraceno, as lentilhas, o amendoim e as sementes de gergelim devem ser evitados, pois são alimentos que estimulam o aumento de peso.
  • Pessoas de sangue tipo AB devem seguir uma dieta baseada nos benefícios e intolerâncias dos tipos sanguíneos A e B.

Tanto a dieta do tipo metabólico, quanto a dieta do tipo sanguíneo guardam semelhanças entre si, por pregarem que a alimentação seja personalizada de acordo com o metabolismo e tipo de sangue de cada um, mas propõe a restrição de alguns alimentos em cada grupo determinado, o que pode causar prejuízo nutricional a quem pratica indiscriminadamente.

Por isso, é preciso estar atento, já que o excesso ou a deficiência de algum nutriente pode ser muito prejudicial à saúde!

Como fazer a dieta do tipo sanguíneo

Segundo a dieta do tipo sanguíneo, cada pessoa traz consigo as características de um grupo que indicam quais seriam os melhores e piores alimentos para favorecer o funcionamento do metabolismo e prevenir doenças. Caso você não saiba qual é o seu tipo de sangue essa informação pode ser obtida com um exame chamado tipagem sanguínea.

Os alimentos de acordo com cada tipo de sangue podem ser: muito benéficos, quando são capazes de melhorar o funcionamento do sistema imunológico, protegendo o organismo contra doenças, auxiliar o bom funcionamento do metabolismo e favorecer o emagrecimento, neutros, quando não fazem bem, nem mal, mas devem ser consumidos com moderação e pouco benéficos, quando devem ser evitados, pois podem deixar o pH sanguíneo ácido, promovendo uma redução do metabolismo e processos inflamatórios que agravam o risco de doenças e ainda elevar a insulina, um hormônio que envia sinais no organismo para que mais gordura seja armazenada.

Dieta do sangue tipo O

O tipo O é considerado carnívoro, já que as pessoas com esse tipo sanguíneo apresentam uma secreção maior de suco gástrico e por isso precisam comer mais alimentos com proteínas de origem animal (como carnes em geral e ovos), especialmente as carnes vermelhas.

Por outro lado, os portadores do tipo sanguíneo O tem mais dificuldade para digerir a lactose e devem evitar leites e derivados. Alimentos que contenham glúten também devem ser consumidos com moderação por quem tem o sangue tipo O, pois também não digerem facilmente essa proteína.

Alimentos muito benéficos: carnes (bovina, cordeiro e vitela), peixes e frutos do mar (bacalhau, badejo, salmão, sardinha e linguado), ovos (caipira ou orgânico), óleos e gorduras (azeite de oliva), verduras, legumes e feijões (alface, abóbora, brócolis, espinafre, ervilha e feijão rajado), grãos e cereais (trigo sarraceno), frutas, castanhas e sementes (abacate, ameixa preta, acerola, figo, nozes e semente de abóbora) ervas, condimentos e bebidas (curry, salsa, alga, pimenta caiena, gengibre, hortelã, chá verde e água com gás natural).

Alimentos neutros: carnes (peru e frango), peixes e frutos do mar (atum, camarão e lagosta), laticínios e ovos (ghee, queijo de cabra e mussarela), óleos e gorduras (óleo de coco), verduras, legumes e feijões (abobrinha, agrião, inhame, feijão preto, ervilha e grão de bico), grãos e cereais (farelo de arroz, arroz branco e integral, pão de centeio e sem glúten), frutas, castanhas e sementes (abacaxi, banana, caqui, pera, maçã, mamão, pêssego, limão, manga, pecã e avelã) e ervas, condimentos e bebidas (alecrim, alho, cacau, açúcar mascavo, adoçantes, camomila, vinho branco e tinto).

Alimentos pouco benéficos: carnes (bacon, presunto e porco), peixes e frutos do mar (polvo e salmão defumado), laticínios e ovos (leite, iogurte, queijo cremoso e provolone), óleos e gorduras (óleo de milho e canola), verduras, legumes e feijões (batata inglesa, berinjela, couve, couve-flor, repolho, feijão branco e lentilha), grãos e cereais (farinha de tripo branca e integral e pão francês e preto), frutas, castanhas e sementes (laranja, melão, coco, morango, tangerina, castanha-do-pará, pistache, castanha de caju e amendoim) e ervas, condimentos e bebidas (vinagre, canela, açúcar branco, café, chá de frutas, chá preto, aloe vera e refrigerante).

Dieta do sangue tipo A

Já a alimentação que mais se adapta às pessoas com tipo sanguíneo A é a vegetariana. O metabolismo de quem tem sangue tipo A é favorecido pelo consumo de alimentos de origem vegetal como as verduras, legumes, frutas e leguminosas e se torna mais lento quando, carnes, ovos, leites e derivados entram na dieta, e por isso estes alimentos devem ser evitados.

Alimentos muito benéficos: carnes (frango e peru), peixes e frutos do mar (bacalhau e salmão selvagem), laticínios e ovos (tofu – queijo de soja), óleos e gorduras (azeite de oliva e óleo de coco), verduras, legumes e feijões (abóbora, acelga, alface, brócolis, cenoura, couve, espinafre, ervilha, lentilha, feijão-azuki e feijão-preto), grãos e cereais (amaranto, trigo sarraceno, farinha de aveia e farinha de quinoa), frutas, castanhas e sementes (abacaxi, cereja, figo, limão, damasco fresco, abacate, ameixa preta, ameixa fresca, amendoim, amêndoa, sementes de abóbora, linhaça e chia) e ervas, condimentos e bebidas (alho, missô – pasta de soja, gengibre, chá verde, café e vinho tinto).

Alimentos neutros: peixes e frutos do mar (atum e pescada), laticínios e ovos (mussarela de búfala e queijo curado), óleos e gorduras (ghee), verduras, legumes e feijões (agrião, beterraba e feijão branco), grãos e cereais (arroz branco, tapioca, pão sem glúten e pão 100% centeio), frutas, castanhas e sementes (caqui, melão, uva passa, morango, pera, maçã, uva, pêssego, goiaba, kiwi, tâmara, avelã, pecã, macadâmia e pasta de gergelim), e ervas, condimentos e bebidas (açúcar mascavo, cacau, canela, noz moscada, manjericão, orégano e hortelã).

Alimentos pouco benéficos: carnes (bacon, porco e carne vermelha em geral), peixes e frutos do mar (salmão defumado, ostra, linguado, lagosta e camarão), laticínios e ovos (leite, manteiga e queijo cremoso), óleos e gorduras (óleo de milho, canola e amendoim), verduras, legumes e feijões (tomate, inhame, batata inglesa, batata doce, pimenta vermelha, berinjela, feijão roxinho e grão de bico), grãos e cereais (cevada, farinha de arroz e de milho e pão de farinha de trigo branca e integral), frutas, castanhas e sementes (pistache, castanha-do-pará e castanha de caju) e ervas, condimentos e bebidas (alcaparra, vinagre, maionese, ketchup, molho inglês, cerveja, chá preto e refrigerante).

Dieta do sangue tipo B

As pessoas que possuem o tipo sanguíneo B são as que melhor respondem ao consumo de leites e derivados, e por isso, iogurtes e queijos magros são indicados. Mas, assim como quem tem sangue tipo O, os portadores do tipo sanguíneo B tem dificuldades em digerir o glúten e devem consumir pães e massas moderadamente.

Além disso, o frango, que contém uma proteína chamada lecitina, também deve ser evitado por colaborar com a retenção de líquido e diminuição muito rápida dos níveis de açúcar no sangue, segundo a dieta.

Alimentos muito benéficos: carnes (carneiro e cordeiro), peixes e frutos do mar (bacalhau, badejo, garoupa, sardinha, salmão e linguado), laticínios e ovos (iogurte natural, queijo de cabra e mussarela de búfala), óleos e gorduras (azeite de oliva), verduras, legumes e feijões (brócolis, berinjela, cenoura, batata doce, inhame, couve flor, feijão branco, feijão roxinho e soja), grãos e cereais (farelo de aveia, farelo de quinoa e arroz integral), frutas, castanhas e sementes (abacaxi, abacate, ameixa vermelha, uva e mamão) e ervas, condimentos e bebidas (gengibre, salsa, hortelã, sálvia e chá verde).

Alimentos neutros: carnes (carne bovina, peru e vitela), peixes e frutos do mar (atum, lula e truta), laticínios e ovos (tofu, leite integral – esporadicamente e manteiga), óleos e gorduras (óleo de coco, linhaça e gergelim), verduras, legumes e feijões (espinafre, abóbora, agrião, alface, acelga, aipo, escarola, cogumelo, chicória, feijão verde, ervilha e vagem), grãos e cereais (arroz – branco e integral – e granola sem glúten), frutas, castanhas e sementes (morango, laranja, pera, kiwi, banana, amêndoa, castanha-do-pará e pecã) e ervas, condimentos e bebidas (mostarda, molho inglês, maionese, chá de camomila, café, chá preto sem cafeína e vinhos branco e tinto).

Alimentos pouco benéficos: carnes (frango, bacon, presunto e porco), peixes e frutos do mar (lagosta, lagostim, camarão, polvo e ostra), óleos e gorduras (óleos de milho, canola e amendoim), verduras, legumes e feijões (alcachofra, azeitona, tomate, broto de feijão, feijão preto, lentilha e grão de bico), grãos e cereais (farinha de trigo, flocos de milho, trigo sarraceno, fubá e gérmen de trigo), frutas, castanhas e sementes (caqui, coco, carambola, amendoim, castanha de caju e sementes de abóbora e girassol) e ervas, condimentos e bebidas (ketchup, aloe vera, refrigerante e bebida destilada).

Dieta do sangue tipo AB

O tipo AB possibilita a dieta mais diversificada entre todos os tipos sanguíneos, já que agrupa as características dos tipos sanguíneos A e B. Neste caso, alimentos como as verduras, frutas e legumes, laticínios e grãos podem ser consumidos livremente, enquanto é importante que apenas as carnes sejam consumidas com moderação para favorecer o metabolismo característico do sangue tipo AB.

Para fazer a dieta do tipo sanguíneo basta preferir os alimentos muito benéficos e neutros do seu tipo sanguíneo, seja ele O, A, B ou AB e evitar o consumo dos alimentos pouco benéficos para cada grupo.

Não esqueça de observar sempre as respostas do seu corpo, já que quando temos atenção plena quando nos alimentamos podemos desenvolver a consciência do que funciona melhor para nós, e assim fica mais fácil escolher o que vai favorecer o funcionamento do organismo.

A dieta do tipo sanguíneo e do tipo metabólico não apresentam evidências científicas suficientes para comprovar a sua eficácia. A restrição de grupos alimentares de forma indiscriminada pode causar deficiências nutricionais e prejuízos à saúde e ao bem estar. Por isso, nenhuma dieta deve ser realizada sem o acompanhamento do médico e do nutricionista.

A reeducação alimentar e a prática de atividade física regular deve ser sempre a primeira opção para quem busca a perda de peso, já que a saúde é prioridade!

Referências:

  1. Teixeira, S. A dieta que está no sangue: peso ideal, saúde e energia. 10ª edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. Disponível em: https://goo.gl/HGyxh3
  2. Betoni, F; Zanardo, V.P.S; Ceni, J.C. Avaliação de utilização de dietas da moda por pacientes de um ambulatório de especialidades em nutrição e suas implicações no metabolismo. ConScientiae Saúde, 2010;9(3):430-440. Disponível em: http://www.redalyc.org/html/929/92915180013/
  3. Revista Viva Saúde Edição 65 >Home >Nutrição >Descubra seu perfil metabólico. Texto: Rita Trevisan/ Adaptação: Marília Alencar. Publicado em 29.09.2014. Disponível em: https://vivasaude.digisa.com.br/nutricao/descubra-seu-perfil-metabolico/3234/

Escrito por

Carla Lizandra

Nutricionista com CRN 44307 formada em Nutrição pela Universidade Presbiteriana Mackenzie

Cursos intensivos de extensão em Nutrição Clínica Aplicada e Personal Diet Pós graduanda em Nutrição Clínica: do Home-care ao Hospital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *