O que é a Frutose, benefícios e ela pode fazer mal a saúde?

PUBLICIDADE

Certamente você já ouviu falar da frutose, inclusive, talvez você até tenha escutado que frutose faz mal e que ela pode causar obesidade, diabetes e mais um monte de outras doenças.

Calma lá!

Neste post iremos esclarecer a importância da frutose, seus benefícios entre outros aspectos interessantes sobre ela…

Um pouco sobre o que é a frutose

A frutose é um importante carboidrato encontrado no organismo humano e na maioria das plantas, tendo sido isolada pela primeira vez em 1847 a partir da cana-de-açúcar. Seu nome é originário da palavra latina fructus, já que as frutas são uma importante fonte de frutose.

Este açúcar, também conhecido como levulose, é o mais doce de todos os açúcares naturais ou de mesa (sacarose = glicose e frutose), sendo encontrado principalmente em frutas e mel.

Por ser de baixo índice glicêmico (IG), é um carboidrato de absorção lenta muito utilizado na indústria alimentícia, que oferta produtos que aumentam a saciedade e tem menor IG. Por esse motivo, vem sendo empregada como adoçante de bebidas e frutas industrializadas, constituindo de 4,0% a 8,0% de seu peso.

No Brasil, entretanto, não é permitida adição em alimentos e bebidas para dietas com restrição de açúcares, uma vez que a legislação permite o limite máximo de 0,5 gramas da soma de glicose, sacarose e frutose por 100 g/ml dos alimentos prontos para o consumo.

Resumo

A frutose é um importante carboidrato encontrado no organismo humano e na maioria
das plantas. Seu nome é originário da palavra latina fructus, já que as frutas são uma importante fonte de frutose.

Este açúcar, também conhecido como levulose, é o mais doce de todos os açúcares naturais ou de mesa, sendo encontrado principalmente em frutas e mel.

Benefícios da frutose

Mel, frutas e verduras contêm frutose. Todos eles são uma boa fonte de energia para o funcionamento celular.

Além disso, quando você consume a fruta in natura, você ingere também uma determinada quantidade de fibras, vitaminas e minerais indispensáveis para sua saúde. Para exemplificar de maneira bem simples, a frutose encontrada em maçãs vermelhas, promove a produção de ácido úrico, que em condições e níveis fisiológicos normais age como um antioxidante.

Outro benefício associado ao consumo da frutose deve-se ao baixo índice glicêmico, que dentre outros aspectos ajuda a manter um peso saudável.

VEJA TAMBÉM:  Carboidratos de baixo índice glicêmico, quais os melhores?

No que se refere à terapia nutricional em diabéticos, apresenta vantagens em relação à glicose, tendo em vista sua maior capacidade de absorção pelo organismo e um discreto aumento dos níveis glicêmicos. Seu uso moderado em substituição aos açúcares refinados pode tornar-se uma alternativa, visto que, assim como a glicose, também atribui doçura aos alimentos e, diferente daquela, por não necessitar da ação da insulina para adentrar à
célula e gerar energia.

Resumo

A frutose é uma fonte de energia para as funções celulares. Além disso, ao ingerir alimentos fonte deste açúcar, você ingere também quantidades importantes de vitaminas, minerais e fibras. Por ter baixo índice glicêmico, a ingestão de frutose (de fontes naturais, e não adicionada) pode auxiliar no controle de peso corporal.

Além disso, em indivíduos diabéticos seu uso pode ser vantajoso uma vez que ela não necessita da ação da insulina para adentrar à célula e gerar energia.

Frutose faz mal a saúde?

Quando falamos da frutose das frutas e mel, a resposta é não!

O que faz mal é o uso abusivo de frutose, assim como todos os alimentos quando consumidos em excesso podem trazer malefícios!

O que a maioria dos estudos também mostra é que especialmente sob a forma artificial, a frutose está diretamente associada com a incidência de doenças crônicas não transmissíveis (obesidade, diabetes, doenças do coração, pressão alta, etc).

Quando nos referimos à forma artificial da frutose estamos falando da sua forma concentrada, chamada de xarope de milho e também conhecida como HFCS “high fructose corn syrup”, que é comumente adicionada aos alimentos industrializados.

O “problema” aqui é que: a frutose pode fornecer de maneira “continua” alguns substratos, mesmo quando não há necessidade deles. Isso faz com que principalmente a produção de lipídios e colesterol seja feita em maiores proporções, como consequência a longo prazo teremos aumento de gordura corporal e do colesterol sanguíneo.

Dessa maneira, é possível relacionar o consumo excessivo da frutose a longo prazo, com o aumento do peso e dos níveis de colesterol, acúmulo de gordura no fígado, prejuízo na sensibilidade à insulina (resistência à insulina), que pode levar à diabetes, aumento da pressão arterial e demais complicações associadas à síndrome metabólica.

VEJA TAMBÉM:  Quais as vantagens da palatinose e quando utilizá-la?

Com isso em mente você deveria evitar os alimentos industrializados nos quais a frutose é adicionada artificialmente, tais como: refrigerantes, sucos e chás industrializados, biscoitos, cereais matinais, barras de cereais, entre outros.

Com relação às frutas, temos que para indivíduos adultos e saudáveis a recomendação diária é de 3 porções!

Resumo

Frutose não faz mal!

O que faz mal é consumir excesso deste carboidrato (assim como tudo em excesso faz mal!)…

Com isso em mente você deveria evitar os alimentos industrializados ricos em frutose, que nesses casos é adicionada artificialmente, tais como: refrigerantes, sucos e chás industrializados, biscoitos, cereais matinais, barras de cereais, entre outros.

Intolerância a frutose

A intolerância à frutose é a dificuldade de absorver alimentos que têm este tipo de açúcar na sua composição, como frutas, legumes e vegetais, e, por isso, quando são consumidos provocam sintomas como enjoo, vômitos, suor excessivo, diarreia e inchaço na barriga.

A causa para a má absorção de frutose pode ser passada de geração para geração (hereditária), por esse motivo, alguns bebês já apresentam sintomas desde muito novos. Por outro lado, a intolerância pode se manisfestar tardiamente, ao longo da vida, devido a alterações no nosso sistema digestivo que resultam em dificuldade para processar e absorver esta substância.

Resumo

A intolerância à frutose é a dificuldade de absorver alimentos que têm este tipo de açúcar na sua composição, como frutas, legumes e vegetais, e, por isso, quando são consumidos provocam sintomas como enjoo, vômitos, suor excessivo, diarreia e inchaço na barriga. Pode se manisfestar logo no início da vida ou de forma tardia.

Referências:

  1. Barreiros, R.C., et al. Frutose em humanos: efeitos metabólicos, utilização clínica e erros inatos associados. Rev. Nutr., Campinas, 18(3):377-389, maio/jun., 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rn/v18n3/a10v18n3.pdf
  2. Ferreira, S. S. Frutose e a Síndrome Metabólica. Monografia Universidade do Porto, 2010. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/54707/3/138150_1018TCD18.pdf
  3. Barros, N. V. dos A., et al. Caracterização dos efeitos da frutose na dieta de pacientes diabéticos. Br. Jour. of Surg. and Clinical Res. vol.20,n.2,pp.140-145, 2017. Disponível em: https://www.mastereditora.com.br/periodico/20171001_162056.pdf
PUBLICIDADE

Escrito por

Andrea Rampazzo

Nutricionista com CRN 31884 formada em Nutrição pela Universidade Federal de Alfenas – MG

Mestre Fisiologia da Nutrição pelo Departamento de Pediatria e Ciências Aplicadas à Pediatria – UNIFESP. Pós- graduanda em Metabolismo do atleta pelo Instituto Hi-Nutrition. Atua como nutricionista clínica no "Espaço Evoluir" na cidade de Itupeva-SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *