Para que serve a vitamina B12 e quais sintomas da sua falta ou excesso

Para que serve a vitamina B12 e quais sintomas da sua falta ou excesso

Você já ouviu falar na vitamina B12?!

Em 1920, foi descoberto que a anemia perniciosa, uma doença incurável na época, poderia ser tratada com uma dieta à base de fígado, hábito que aumentava (e muito!) a contagem de células vermelhas de um paciente em um curto período de tempo.

O fígado continha um composto que foi chamado de fator extrínseco, a vitamina B12, que combinada a uma glicoproteína indispensável à sua absorção (o fator intrínseco) e o ácido clorídrico (presente no estômago e responsável por auxiliar na digestão das proteínas) poderia ser absorvido pela porção terminal do intestino.

Também conhecida como cobalamina, a vitamina B12 é uma vitamina pertencente ao grupo do complexo B, não produzida pelo organismo, que tem como fontes mais ricas os alimentos de origem animal como as carnes bovinas e suínas, as vísceras (fígado, rim, coração), as aves, os peixes, os ovos, os leites e derivados.

A deficiência de vitamina B12 pode atingir pessoas de todas as idades, no entanto, o grupo de risco é composto por crianças, mulheres em idade fértil, gestantes, mulheres que estão amamentando, idosos, pessoas com desequilíbrios no estômago ou intestinos, indivíduos que usam muitos medicamentos e, principalmente, aqueles que adotam a dieta vegetariana e vegana.

Funções da vitamina B12 para a saúde

Além de atuar na formação dos eritrócitos, que são as células encarregadas em transportar o oxigênio no sangue, a vitamina B12 tem papel fundamental na manutenção do sistema nervoso.

Confira outras funções desta essencial vitamina para o organismo humano:

  • Auxilia no bom funcionamento da vitamina B9, o ácido fólico, relevante para a formação de proteínas e hemoglobina, essencial para uma gestação saudável;
  • Atua no metabolismo celular das células gastro-intestinais, tecido nervoso e medula óssea;
  • Participa do metabolismo dos aminoácidos e favorece a produção de creatina e colágeno;
  • Estimula o apetite e promove o crescimento em crianças;
  • Melhora a capacidade de memorização, equilíbrio e concentração.

O que a deficiência de vitamina B12 pode causar?

A deficiência de vitamina B12 pode ocasionar transtornos no sangue e no sistema circulatório, neurológicos e cardiovasculares.

Os sintomas mais frequentes são neurológicos e estão ligados a redução da capacidade cognitiva, prejudicando a atenção, a concentração e a memória, além de causar fadiga, falta de equilíbrio, confusão mental, nervosismo, depressão e até demência nos casos mais graves.

Também são característicos o formigamento nas mãos e pernas e a estomatite (inflamação na mucosa da boca).

Isso ocorre porque na falta de vitamina B12 a bainha de mielina, que funciona como um isolante elétrico para os impulsos nervosos, começa a se desgastar.

Diversos fatores podem contribuir com a diminuição de vitamina B12 no organismo, dentre eles estão:

  • Nutrição inadequada;
  • Uso excessivo de drogas, tabaco ou álcool;
  • Uso frequente de medicamentos que reduzem a concentração de ácido no suco gástrico como a ranitidina e o omeprazol;
  • Cirurgias no estômago (cirurgia bariátrica e as realizadas para a retirada de tumores);
  • Uso do medicamento metformina para o tratamento contra o diabetes.

Esses e outros fatores podem provocar a má absorção da vitamina B12 levando ao déficit do nutriente, mas não necessariamente a anemia perniciosa. Por isso, pessoas nestas condições devem ficar ainda mais atentas aos sintomas que podem ser confundidos com estresse.

Outras doenças também podem estar associadas com a deficiência de vitamina B12: o ateroma (acúmulo de gordura na parede dos vasos sanguíneos), defeito de formação do tubo neural (alteração que faz com que as crianças nasçam com sérias alterações na coluna vertebral e irreversível paralisia das pernas) e esteatose hepática (acúmulo de gordura na fígado).

Além dos fatores que influenciam na diminuição da absorção da vitamina, algumas situações podem acelerar ou desencadear a deficiência da vitamina, como o excesso de consumo do nutriente pelo organismo, que ocorre, por exemplo: no aumento de atividade mental e intelectual e alterações no funcionamento do fator intrínseco, ocasionadas por produção de anticorpos que destroem ou atrapalham a absorção, insuficiência pancreática, resseção intestinal da porção final do intestino delgado e na baixa secreção de ácido gástrico comum em idosos.

Recomendação de vitamina B12

A organização norte-americana Food and Nutrition Board recomenda doses diárias de vitamina B12:

  • 0,4 a 0,5 microgramas para lactentes
  • 0,9 a 1,8 microgramas para crianças
  • 2,4 microgramas para adultos
  • 2,6 microgramas para gestantes
  • 2,8 microgramas para mulheres em lactação

Uma pessoa adulta necessita de 1 micrograma de vitamina B12 por dia, mas a absorção intestinal é de cerca de 50% da quantidade ingerida, por isso, a recomendação é dobrada para atingir uma margem de segurança.

Ainda, recomenda a suplementação de vitamina B12 para todos os indivíduos acima dos 50 anos de idade, que comam ou não alimentos de origem animal, pois 10 a 30% destas pessoas apresentam dificuldade em extrair a vitamina do alimento.

Como é realizado o diagnóstico da deficiência de vitamina B12?

A dosagem sérica de vitamina B12 é o exame mais utilizado como método para diagnosticar a deficiência.

Os níveis normais estão entre 150 e 200 microgramas (dependendo do método de dosagem utilizado) a 900 microgramas.

No entanto, algumas pessoas apresentam os sintomas de falta de vitamina B12 com níveis que hoje são tidos como “normais”. Por isso, muitos médicos preferem considerar níveis abaixo de 490 micrograma/ml.

Como a dosagem de vitamina B12 não é totalmente confiável, recomenda-se realizar também a dosagem de homocisteína e, se possível, de ácido metilmalônico (exame de custo elevado) que ficam aumentados na deficiência de cobalamina.

O excesso de vitamina B12 também é prejudicial?

Não há registros de efeito tóxicos da alta ingestão da vitamina B12 através da alimentação, afinal, por ser uma vitamina solúvel em água, seu excesso se dissolve na urina e é facilmente eliminada, no entanto, a reposição realizada por via intramuscular pode causar reações alérgicas e a administração de doses excessivas pode precipitar um quadro de gota.

Vegetarianos e necessidades de vitamina B12

A vitamina B12 é o único nutriente que um vegetariano pode precisar suplementar, mesmo com uma dieta bem planejada.

A cobalamina está presente em quantidade significativa apenas em alimentos de origem animal, sendo assim, o consumo de leite, queijo e ovos, realizado em determinados tipos de dieta vegetariana, pode atingir as necessidades diárias deste nutriente, sem a necessidade de suplementação, desde que seu consumo seja diário.

A Sociedade Vegetariana Brasileira orienta que a suplementação de vitamina B12 é indiscutivelmente necessária para gestantes, mulheres amamentando e crianças. Além disso, recomenda a suplementação para vegetarianos estritos (ou veganos), os quais não consomem nenhum alimento de origem animal.

Alguns alimentos de origem vegetal muitas vezes são citados entre os vegetarianos como fonte de vitamina B12, mas estudos demonstram que nem todas as fontes contêm a vitamina na sua forma ativa.

Como as bactérias são as únicas produtoras da cobalamina surgiu a hipótese de que os alimentos fermentados seriam importantes fontes, no entanto, estes alimentos não contêm quantidades significativas de vitamina B12.

Adultos (exceto as mulheres gestantes e que amamentam) podem optar por não suplementar, desde façam acompanhamento laboratorial.

A suplementação pode ser realizada diariamente por via oral com pelo menos 5 microgramas de vitamina B12, porém, a maioria dos suplementos disponíveis do mercado contêm 10 microgramas e não há problema, pois não são conhecidos efeitos adversos ou toxicidade desta vitamina nestas quantidades por via oral.

A suplementação injetável só é indicada quando houver deficiência do fator intrínseco, quando há anemia perniciosa, e nesse caso é preciso estar mais atento a quantidade administrada.

Os benefícios da vitamina B12 para quem treina

No exercício físico, a cobalamina atua na formação do sangue para transportar nutrientes necessários, como os substratos energéticos e aminoácidos para gerar a contração muscular.

Além disso, a cobalamina desempenha papel fundamental na transformação de ácidos graxos em energia e ajuda a manter a energia nos músculos, reduz a fadiga e ajuda no bom funcionamento do sistema nervoso central.

Assim, consumindo alimentos fontes de vitamina B12 associados à uma alimentação variada e equilibrada, você terá a disposição e o foco que precisa para treinar e tirar o melhor proveito de cada série de exercícios.

As vitaminas e os minerais são nutrientes reguladores fantásticos e repletos de funções no organismo e, por isso, não devem ficar de fora da dieta!

Agora que você já sabe para que serve a vitamina B12 e quais são os sintomas de sua deficiência ou excesso, preste atenção no seu corpo e nos sinais que ele te dá e consulte sempre seu médico ou nutricionista para identificar possíveis alterações na saúde, melhorar a sua alimentação e, quando necessário, iniciar o uso da suplementação.

Referências:

  1. Vannucchi, Elio. Cobalamina (vitamina B12) Série de publicações ILSI Brasil: funções plenamente reconhecidas de nutrientes, v.13. São Paulo: ILSI Brasil – International Life Sciences Institute do Brasil, 2010. Disponível em: http://ilsibrasil.org/wp-content/uploads/sites/9/2017/07/Fascículo-COBALAMINA.pdf
  2. Paniz, C. et al. Fisiopatologia da deficiência de vitamina B12 e seu diagnóstico laboral. Rev Bras Patol Med Lab, v. 41, n. 5, p. 323-34, outubro/ 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-24442005000500007
  3. Sociedade Vegetariana Brasileira >Home >Vitamina B12 e vegetarianismo. Autor: Eric Slywitch. Publicado em 26.05.2007. Acesso em 01.08.2018. Disponível em https://www.svb.org.br/205-vegetarianismo/saude/artigos/132-vitamina-b12-e-vegetarianismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *