Qual a diferença entre refrigerante diet, light e zero

Qual a diferença entre refrigerante diet, light e zero

Muitos tem dúvidas sobre qual é a diferença entre refrigerante diet, light e zero… Você é um deles? Então vamos esclarecer esta questão!

O refrigerante comum ou “normal” é uma bebida gaseificada, açucarada e ultraprocessada amplamente consumida em nosso país. Para se ter uma ideia, a Vigitel – Pesquisa da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas – realizada por telefone em 2016, identificou que 19% dos brasileiros consomem refrigerantes ou sucos artificiais todos os dias.

Mas, qual é o problema do refrigerante?

Em linhas gerais, o consumo regular de refrigerantes geralmente é acompanhado da ingestão de carnes com gordura, frituras, salgados fritos e assados, biscoitos doces e salgados e um baixo consumo de frutas, verduras, legumes e água.

Segundo o Ministério da Saúde, este padrão alimentar está associado à uma alta inadequação na ingestão de cálcio, vitaminas A e E, e também ao consumo expressivo de ácidos graxos saturados, açúcar refinado e sódio, os quais podem prejudicar de maneira significativa a saúde e a qualidade de vida.

Buscando o emagrecimento, diversas pessoas “amantes do consumo de refrigerantes” têm buscado as opções diet, light ou zero, que propõe uma redução ou ausência de calorias e/ou açúcar. Assim, estariam ingerindo menos calorias e se eximindo dos malefícios que o alto consumo de açúcar traz à saúde.

No entanto, qual a diferença entre esses tipos de refrigerantes e os reais impactos na saúde?

Refrigerantes diet, light e zero: diferenças entre eles

Diet: o produto diet apresenta a isenção de algum nutriente específico, comparado ao convencional, e é voltado para indivíduos que necessitam controlar ou excluir a ingestão desse nutriente na dieta, como os diabéticos e indivíduos que apresentam pressão alta, por exemplo. No caso dos refrigerantes, a isenção é dos açúcares (glicose, frutose, sacarose).

Zero: também é um produto com isenção total de algum nutriente em relação à versão tradicional. Os refrigerantes zero precisam ter no máximo 0,5 gramas de açúcar em 100ml da bebida, limites definidos pela Anvisa e pelo Ministério da Saúde.

Light: o alimento light tem redução mínima de 25% das calorias ou de algum nutriente específico (como as gorduras, o sódio ou carboidratos) e é indicado para quem precisa ou deseja reduzir o teor destes nutrientes na alimentação.

Com estas modificações na composição, os refrigerantes diet, light e zero se tornam melhores opções?

Um estudo recente realizado na Universidade de Johns Hopkins nos Estados Unidos apontou que, entre os participantes da pesquisa, os indivíduos acima do peso geralmente consumiam mais refrigerantes dietéticos do que os que estavam em forma.

O grupo também ingeria mais alimentos sólidos, o que indica uma relação entre a ingestão da bebida e o aumento no consumo de calorias pela dieta. As evidências sugerem que os adoçantes presentes nestes refrigerantes desregulam o sistema de recompensa do cérebro fazendo com que se perca a medida confiável de quanta energia já foi consumida e quanto ainda é preciso consumir.

O que acontece, segundo o estudo, é que a dopamina, responsável pela sensação de prazer gerada quando consumimos açúcar precede a chegada de muita energia proveniente das calorias do alimento ou bebida açucarada. O adoçante provoca uma sensação semelhante no organismo sem o fornecimento de tantas calorias, o que traz uma expectativa do cérebro por esta energia que não chega. Isso incitaria a busca por alimentos mais calóricos. Por este mesmo mecanismo envolvido com a ingestão de adoçantes, o cérebro promove maior armazenamento das calorias dos alimentos consumidos junto a refrigerantes dietéticos.

Além disso, por ser uma bebida ultraprocessada, os refrigerantes apresentam conservantes e corantes que também devem ser evitados em uma alimentação saudável, além do gás que provoca sensação de estufamento.

Bebidas mais saudáveis para consumir no dia a dia

Em relação à hidratação, o consumo de água mineral não pode ser negligenciado. Além disso, os sucos naturais sem adição de açúcar, as águas aromatizadas, os chás e a água de coco, são ótimas opções de bebidas com sabor.

Uma alternativa é utilizar outras formas de adoçar as bebidas, quando necessário, a partir do açúcar de coco, por exemplo, que pode ser substituído na mesma proporção do açúcar refinado com menor índice glicêmico e vitaminas e minerais que agregam valor nutricional à bebida.

Referências:

  1. EBC – Empresa Brasileira de Comunicação/ Agência Brasil. Home > Notícias > Obesidade atinge quase 20% da população brasileira, mostra pesquisa. Disponível em www.google.com.br/amp/agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2018-06/obesidade-atinge-quase-um-em-cada-cinco-brasileiros-mostra-pesquisa%3Famp. Acesso em 05.07.2018.
  2. Associação de Diabetes Juvenil Diabetes Brasil. Home >Comer bem > Refrigerantes: Zero, Diet e Light: Qual a diferença? Qual consumir? Disponível em http://www.adj.org.br/leitura-conteudo/00000343. Acesso em 05.07.2018.
  3. ANAD – Associação Nacional de Atenção ao Diabetes. Home > Você sabe a diferença entre light, diet e zero? Disponível em voce-sabe-a-diferenca-entre-light-diet-e-zero/. Acesso em 05.07.2018.
  4. Revista Saúde Abril. Home >Bem estar > Refrigerante zero: entenda como ele pode sabotar a dieta e a saúde. Disponível em www.google.com.br/amp/s/saude.abril.com.br/bem-estar/refrigerante-zero-entenda-como-ele-pode-sabotar-a-dieta-e-a-saude/amp/. Acesso em 05.07.2018.

Escrito por

Carla Lizandra

Nutricionista com CRN 44307 formada em Nutrição pela Universidade Presbiteriana Mackenzie

Cursos intensivos de extensão em Nutrição Clínica Aplicada e Personal Diet Pós graduanda em Nutrição Clínica: do Home-care ao Hospital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *