Carboidratos viram Gorduras? Quais as diferenças e relação entre eles

Carboidratos viram Gorduras? Quais as diferenças e relação entre eles

A resposta é SIM!

Carboidratos quando consumidos em excesso viram gordura.

Porém, a fim de manter o equilíbrio das funções vitais, nós desenvolvemos um mecanismo de controle sofisticado, de modo que, quando ingerimos excesso de “combustível” oriundo de carboidratos, este é estocado para momentos de menos “fartura” sob forma de glicogênio ou gordura.

Carboidratos viram gorduras: uma questão evolutiva

Antes de mais nada, é importante abrir um “parenteses” para contar uma breve história que vai dar sentido a muitos fatos, metabolicamente falando…

Nossos ancestrais, assim como muitos outros mamíferos que caçavam para comer, eram comensais intermitentes, ou seja, comiam quando havia caça ou algum outro alimento disponível.

Uma vez que não haviam meios de armazenamento, caçadores e “familiares” comiam o quanto podiam, com algum excedente sendo armazenado no corpo para as necessidades imediatas de energia, até certo ponto como glicogênio, mas principalmente como gordura.

Isso significa que quando as reservas de glicogênio atingem o ponto máximo, qualquer carboidrato adicional será convertido em gordura.

No caso dos nosso ancestrais, essa gordura fornecia estoque de energia que lhes daria sustento aos períodos de jejum de vários dias ou até semanas, até encontrarem uma nova refeição.

Porém, o que acontece é que atualmente nós não somos mais comensais intermitentes, mas por uma questão evolutiva (e de sobrevivência da espécie) nosso metabolismo ainda armazena os excessos ingeridos em forma de gordura!

Resumo:

Antigamente comíamos nos dias de caça e passávamos dias ou até semana sem nos alimentar esperando a próxima oferta de alimento. Por conta desses longos períodos de jejum, nosso corpo, de forma inteligente, armazenava os excessos de carboidratos (estocados como gordura), a fim de termos energia suficiente para aguentar a próxima refeição. Porém, atualmente, nós comemos diariamente e várias vezes ao dia, ou seja, esse estoque de gordura não seria aproveitado como energia, ficando apenas acumulado como um excesso de gordura corporal.

Quais as diferenças e relação entre eles?

Gorduras X Carboidratos

Os lipídios (gorduras) são moléculas orgânicas formadas a partir de ácidos graxos e triacilglicerol.

Já os carboidratos são compostos que, em geral, apresentam a fórmula empírica (CH2O)n, cujos representantes mais simples são chamados de açúcares, como, por exemplo, a glicose.

Diferenças e relação entre eles…

As gorduras são as biomoléculas mais energéticas.

Sendo que 1 grama de gordura contém 9 calorias de energia, o que corresponde a mais que o dobro da capacidade armazenadora de energia dos carboidratos e proteínas, que por grama contêm 4 calorias.

Por outro lado, os carboidratos são compostos extremamente abundantes na natureza, sendo superados apenas pela água.

Constituem a principal fonte de energia utilizada pelo nosso organismo e também o único combustível utilizado por todas as células do nosso corpo.

Quantitativamente, os carboidratos são o principal substrato oxidável para a maioria dos organismos.

Praticamente todas as células são potencialmente capazes de atender suas demandas energéticas apenas a partir deste açúcar.

Nesse sentido, embora as gorduras tenham grande potencial em armazenamento de energia, a velocidade de oxidação das mesmas para a produção de energia, principalmente em exercícios intensos de curta duração (tiros de 100m, por exemplo), é menor do que a dos carboidratos.

Por isso, quando o organismo necessita de maior quantidade de energia por unidade de tempo, utiliza os carboidratos.

Já nos exercícios de resistência (como corridas longas ou ciclismo), os lipídios passam a ser responsáveis pela maior produção de energia.

Assim sendo, a maior parte da gordura fica disponível para a produção de energia, especialmente durante o exercício prolongado.

Já os carboidratos constituem componentes importantes na dieta de praticantes de atividade física e atletas que objetivem melhora de performance, recuperação e fadiga.

Resumo:

Carboidratos fornecem energia ao seu corpo e ajudam a preservar o músculo, porém o corpo têm formas alternativas caso a ingestão de carboidratos esteja controlada ou baixa. Desse modo, podemos sim ter um consumo moderado de carboidratos a fim de não armazenar gordura corporal e mesmo assim ter energia e disposição para o dia a dia, isso graças as gorduras que são a segunda fonte de energia do corpo.

Dietas ricas em carboidratos e o impacto sobre a saúde

O processo biológico pelo qual carbonos provenientes de carboidratos (glicose, frutose, lactose) são transformados em lipídios (ácidos graxos) é chamado de lipogênese de novo.

A importância deste processo é seu possível papel no desenvolvimento de dislipidemias e no acúmulo de gordura corporal.

Em humanos, a lipogênese vem sendo pesquisada sob diferentes aspectos: composição corporal, o sexo, a duração da dieta, o tipo e a quantidade de carboidrato ingerido são evidências que podem afetar diferentemente esse processo.

Nesse sentido, estudos sugerem que dietas ricas em carboidratos, que priorizam o consumo de carboidratos simples, favorecem:

  • o aumento da gordura corporal;
  • a elevação dos triglicérides;
  • a formação de LDL (que é o colesterol “ruim”);
  • a redução das concentrações do HDL (colesterol “bom”).

Ou seja, provoca um aumentar no risco de desenvolver doenças cardiovasculares e obesidade.

Por outro lado, muitos estudos também vêm demonstrando que dietas ricas em carboidratos complexos e fibras apresentam maior capacidade de promover a longevidade e a qualidade de vida.

Assim sendo, apesar das inúmeras recomendações existentes, ainda há muita controvérsia a respeito de qual seria a composição ideal da dieta para a população em geral, a fim de promover a saúde e evitar problemas tais como o aumento da adiposidade e dislipidemias.

Resumo:

Carboidratos não são um nutriente “essencial”. No entanto, muitos alimentos ricos em carboidratos complexos (fibras) são carregados com nutrientes benéficos, portanto, evitá-los é uma má ideia. Por outro lado, o excesso de carboidratos simples (açúcares e alimentos industrializados), provocam aumento de gordura corporal, aumento do colesterol ruim e diminuição do colesterol bom, obesidade e doenças cardiovasculares. Ou seja, carboidratos em sua forma natural, rica em fibras, são geralmente saudáveis. Alimentos processados ​com açúcar e carboidratos refinados são péssimos à saúde (quando consumidos sem equilíbrio).

Portanto, dentro da área da nutrição não se pode generalizar nem tão pouco estigmatizar abordagens nutricionais.

Isso porque a individualidade de cada um deve ser sempre levada em conta!

Enfim, quando o assunto é alimentação e saúde você deve sempre procurar um nutricionista. E leia ainda nosso artigo para saber mais sobre as diferenças entre gorduras, carboidratos e proteínas.

Referências:

  1. POLACOW, V.O.; LANCHA JUNIOR, A.H. Dietas hiperglicídicas: efeitos da substituição isoenergética de gordura por carboidratos sobre o metabolismo de lipídios, adiposidade corporal e sua associação com atividade física e com o risco de doença cardiovascular. Arq Bras Endocrinol Metab,  São Paulo ,  v. 51, n. 3, p. 389-400,  Apr.  2007. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27302007000300006
  2. SPRIET, LAWRENCE L. New Insights into the Interaction of Carbohydrate and Fat Metabolism During Exercise. Sports Medicine. Auckland, 44.Suppl 1, 87–96, 2014. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4008806/
  3. DA SILVA, S. M. C. S., MURA, J. D. P. Tratado de alimentação, nutrição e dietoterapia. Editora Roca, São Paulo. 2009.
  4. SALWAY, J. G. Metabolismo passo a passo. 3°ed. Campinas: Editora Artmed, 2009.
Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *