Diferenças Bulking e Cutting: O que é, diferenças e como funciona

Os termos Bulking e Cutting vêm ganhando espaço entre praticantes de atividade física. Porém, apesar dos nomes diferentes, essas práticas já são bem conhecidas de um modo geral.

Originado entre fisiculturistas e bodybuilders, atualmente a prática de bulking e cutting é explorada por toda a comunidade fitness.

Então, vamos entender um pouco mais sobre como funcionam?

O que é bulking

O bulking é outro termo utilizado para especificar o período de ganho de peso e massa muscular.

Dessa forma, esse processo consiste na realização de uma dieta hipercalórica, o que quer dizer que deve-se ingerir mais calorias do que o corpo é capaz de queimar.

Além disso, boa parte dessas calorias provém de fontes proteicas, visando promover a hipertrofia. Aumenta-se consideravelmente também a ingestão de carboidratos, para que ocorra o ganho de peso.

Entretanto, apesar de calórica, isso não significa que a dieta bulking não é saudável. É muito importante que esse procedimento seja feito da forma correta, e que a dieta seja balanceada. Dessa forma, minimiza-se o ganho de gorduras, e sem comprometer a saúde.

Resumo

Bulking é o período de ganho de peso e massa muscular.

Baseia-se em uma dieta hipercalórica (com alto teor de calorias) e rica em carboidratos e proteínas, para que ocorra o aumento do peso e a hipertrofia (aumento dos “músculos”), minimizando o ganho de gorduras.

O que é cutting

O cutting é o período em que o foco é a queima do excesso de gorduras e definição muscular. Para isso, monta-se uma dieta adequada para que se evite a perda de massa muscular no processo.

Dessa forma, o cutting é baseado em uma dieta com uma certa restrição calórica, com diminuição da oferta de carboidratos, para que seja possível perder peso e queimar gordura.

Veja aqui como montar uma dieta cutting para homens ou mulheres.

Resumo

Cutting é o período de perda de peso e queima de gordura, normalmente realizado após a fase bulking.

Baseia-se em uma dieta balanceada e com restrição de calorias, buscando evitar a perda de massa muscular.

Principais diferenças entre bulking e cutting

Conforme foi exposto nos tópicos anteriores, o bulking e o cutting possuem funções distintas.

Enquanto o cutting é realizado no período em que deve ocorrer perda de peso e de gordura, a fase bulking é posta em prática quando deseja-se aumentar o peso e a massa muscular.

Dessa forma, no bulking a quantidade de calorias ingerida deve ser muito superior a do período cutting. Para atingir essa meta, na dieta bulking aumenta-se a ingestão de carboidratos, enquanto esse nutriente é reduzido no período cutting.

Além disso, existe também diferenças com relação ao treino que deve ser praticado em cada fase. Nesse caso, cabe ao educador físico adequar a melhor carga para cada período.

Como saber a hora de fazer um bulking ou cutting

O momento certo de fazer cada um desses procedimentos varia para cada pessoa.

Primeiramente, é fundamental que se procure a orientação de um nutricionista. Esse é o profissional que irá avaliar os fatores determinantes para a realização de cada um desses processos.

Entre esses fatores, destacam-se a condição física atual e de saúde. Através de análises antropométricas e bioquímicas, o nutricionista será capaz de avaliar para cada paciente:

  • Quantidade de gordura corporal;
  • Quantidade de massa muscular;
  • Estado nutricional.

Assim, conforme o resultado das análises, é possível saber qual é a melhor estratégia a se seguir.

Jamais realize esses processos por conta própria. Tanto a prática do bulking quanto do cutting, sem orientações, podem conferir resultados catastróficos para a saúde.

Avaliações antropométricas

Existem alguns métodos que são capazes de definir o percentual de gordura e de massa magra existente no nosso corpo. Para isso, o profissional nutricionista dispõe de alguns equipamentos:

Balança – Com esse equipamento, o profissional avalia o seu peso, permitindo que ele calcule o seu IMC (Índice de Massa Corporal).

Fita métrica – Com a fita métrica, o nutricionista poderá fazer algumas medidas. Um exemplo comum é a circunferência da cintura, onde é avaliado o risco de morbidades.

Adipômetro – Esse é o instrumento utilizado para medir as pregas cutâneas. Existem alguns diferentes métodos envolvendo diferentes pregas a serem medidas. Porém, o objetivo é o mesmo: avaliar o percentual de gordura e de massa magra do paciente.

Alguns outros equipamentos podem ser utilizados, conforme a conduta de cada profissional, como monitores de gordura corporal e balanças de bioimpedância.

É possível fazer bulking e cutting ao mesmo tempo?

Não é um método muito indicado. Como explícito anteriormente, os períodos de bulking e cutting são muito diferentes.

Enquanto no bulking é necessário um aporte calórico maior, no cutting é feita restrição de calorias. Dessa forma, são processos um tanto conflitantes.

O ideal é que cada um seja feito no seu devido tempo. Dessa forma, o resultado será muito mais eficiente.

Porém, como dito anteriormente, cabe ao nutricionista e ao educador físico avaliarem individualmente cada situação. Pois, em alguns casos, como é o exemplo de algumas pessoas que estão saindo do sedentarismo, pode haver a necessidade de haver ganho de massa magra simultaneamente com a queima de gordura.

Resumo

Para saber a melhor para hora para fazer bulking ou cutting é necessário procurar o auxílio de um nutricionista.

Com a ajuda de exames antropométricos, é possível avaliar o estado físico e nutricional do paciente de forma individualizada, permitindo estabelecer a melhor estratégia para o momento.

Dificilmente o bulking e o cutting podem ser feitos simultaneamente. Por serem processos muito diferentes, devem ser feitos de forma isolada para que se obtenham melhores resultados.

Como fazer o bulking e o cutting

Bulking

Diferente do que muitos pensam, na fase de bulking não é permitido qualquer tipo de alimento.

Mesmo durante essa fase de ganho de peso, a dieta deve ser balanceada e orientada por um nutricionista.

Deve-se assim, evitar alimentos muito gordurosos e ultraprocessados. Ao invés disso, o correto é priorizar o aumento de alimentos saudáveis, mantendo sempre a saúde em primeiro lugar.

Isso é importante também para que se evite o ganho de gordura em excesso, permitindo que a fase cutting seja muito mais fácil e eficiente.

Para isso, deve-se aumentar a frequência de refeições, evitando passar muitas horas em jejum.

Além disso, aumenta-se a quantidade de carboidratos complexos ingeridos por dia (grãos, tubérculos, leguminosas, legumes e verduras) e de proteínas (carnes, ovos, leite, iogurtes etc).

O acompanhamento com o educador físico durante o processo também é muito importante, que irá definir a carga do treino da forma mais adequada.

Cutting

O período cutting é muito importante de ser feito da forma correta. Isso porque, uma cutting mal feito pode prejudicar todo o processo feito até o momento.

Ao cortar calorias, deve-se manter o equilíbrio dos nutrientes oferecidos nas refeições, para que se evite a perda de massa magra e depleções nutricionais.

Assim, reduz-se apenas o excesso de gorduras, que é o objetivo do cutting, preservando a massa muscular.

Da mesma forma como no período bulking, no cutting também deve-se evitar o jejum por muitas horas. O ideal é que se realize as refeições em maior frequência e em menor volume por refeição.

Além disso, deve-se diminuir a oferta de carboidratos na dieta, para que se reduza as calorias totais. Porém, diminuir não significa retirar por completo. Portanto, os grãos integrais, legumes e verduras continuam sendo bem vindos.

O treino é muito importante também nesse processo. Assim como no bulking, o educador físico é o profissional adequado para estabelecer a melhor carga de treino durante esse período.

Cuidados necessários

Por se tratarem de dietas com grande oferta de proteínas, vale a pena frisar alguns cuidados necessários para que não ocorram danos à saúde.

Beber bastante água, não realizar grandes períodos de jejum, evitar alimentos muito gordurosos e não permanecer nesse tipo de dieta por um período muito longo de tempo são alguns dos cuidados que você pode ter para preservar sua saúde.

Procure seu nutricionista e cuide-se.

Resumo

Bulking

Nessa fase, deve-se evitar o jejum por períodos prolongados. Aumenta-se a ingestão calórica, através da maior oferta de carboidratos complexos e proteínas.

Evita-se alimentos gordurosos e ultraprocessados.

Cutting

A redução calórica deve ser feita com acompanhamento nutricional, evitando riscos à saúde.

Evita-se o jejum por períodos prolongados, aumentando a frequência e diminuindo o volume das refeições.

Referências:

  1. Krause, MV. Mahan, LK. Escott-stump, S. Krause – Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 12ᵃ ed. 2ᵃ tiragem. São Paulo:Roca, 2010.

Escrito por

Renata Pereira

Nutricionista com CRN 16101015 formada em Nutrição pela Faculdade UNIRIO

Especialista em Nutrição Funcional - UFF Mestranda em Alimentos e Nanotecnologia - UFRJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *