Entenda os Benefícios da Maca Peruana

A maca peruana ou Lepidium meyenii é um vegetal crucífero nativo da região dos Andes no Peru, mas que também pode ser encontrado nas altas montanhas da Bolívia, Colômbia, Chile ou Argentina.

A maca mede de 2,5 a 6cm de comprimento por 3 a 7cm de largura, sua aparência se assemelha a um rabanete e possui coloração diversificada. Capaz de resistir a altas irradiações solares, ventos fortes, geadas frequentes e solos com pH abaixo de 5, a planta tem sua adaptação ao estresse ambiental justificada pela elevada produção de metabólitos secundários.

A raiz tuberosa que consiste na parte comestível da maca têm sido usada há séculos como planta alimentar e medicinal, particularmente na medicina tradicional peruana.

O Lepidium meyenii na história e na culinária tradicional peruana

No período pré-colombiano os Incas consideravam a maca peruana um alimento nobre enviado pelos deuses para nutrir e aumentar a energia e vitalidade de seus guerreiros.

No século XVI, durante a conquista do Império Inca, os que chegaram aos Andes tiveram grande dificuldade para nutrir e procriar seus animais domésticos naquele habitat desfavorável e, por orientação dos indígenas, utilizaram o Lepidium meyenii para alimentar seus cavalos e amenizar a redução da capacidade reprodutiva nas grandes altitudes, obtendo bons resultados.

Posteriormente, a planta passou a ser utilizada a partir da cultura popular para combater a esterilidade ou aumentar a fertilidade. No período pré-hispânico a maca já ocupava um papel importante na economia de subsistência e, durante a colonização espanhola chegou a ser utilizada como moeda.

A obra Historia Del Nuevo Mundo escrita em 1653 faz referência à maca como uma “planta nascida na região mais dura e fria dos Andes onde não há outras plantas para alimentar os homens”.

Composição nutricional da maca peruana

A matéria seca, ou seja, a raiz tuberosa da maca peruana em pó e desidratada, como é comercializada no Brasil, apresenta conteúdo energético de 158,5 kcal, composição química de aproximadamente 50 a 70% de carboidratos (sendo 24% sacarose, 1,6% glicose, 5% oligassacarídeos e 31% polissacarídeos); 8 a 9% de fibras solúveis e 23% de insolúveis; 2 a 4% de lipídios, incluindo os ácidos graxos (oléico, linoléico, linolênico, mirístico, esteárico, palmítico e palmitoléico) e 8 a 18% de proteínas.

A maca também contém vitaminas do complexo B, vitamina C, zinco, magnésio e fósforo!

Benefícios para a saúde proporcionados pelo consumo regular da maca peruana

A maca peruana é reconhecida pela FAO (Food and Agriculture Organization) das Nações Unidas pelo seu valor nutricional e é amplamente utilizada na medicina complementar para tratar infertilidade, redução de libido, falta de vigor físico, distúrbios da memória e sintomas da menopausa.

Estudos científicos apontados em uma recente revisão de literatura da Revista Peruana de Medicina Experimental e Saúde Pública demonstram as diversas propriedades biológicas em que a maca peruana pode apresentar eficácia.

Confira a seguir os principais benefícios da maca peruana à saúde:

Disfunção sexual em homens e mulheres saudáveis

A testosterona aumenta o desejo sexual em ambos os sexos e promove a ereção nos homens. A diminuição dos níveis séricos deste hormônio está associada a menor desejo sexual e disfunção erétil.

No entanto, o tratamento com reposição de testosterona para este fim, apesar de efetivo, pode provocar determinados efeitos colaterais indesejados, promovendo a busca por outras opções de tratamento.

Estudo realizado em atletas do sexo masculino utilizando 2,4g de maca peruana ao dia por doze semanas apresentou resultado significativo na disfunção erétil leve. Outros dois ensaios clínicos sugeriram efeito favorável no consumo da raiz sobre a disfunção ou desejo sexual em mulheres saudáveis durante a menopausa e em homens adultos saudáveis.

VEJA TAMBÉM:  Quais alimentos contêm glutamina?

Espermatogênese ou fertilidade masculina

Um estudo clínico também mostrou que a administração de maca peruana durante 84 dias em nove homens saudáveis (em doses de 1,5 a 3g) proporcionou aumento no volume do sêmen, contagem e motilidade dos espermatozóides, o que indica melhora na quantidade e qualidade destes espermatozóides.

Ainda, a falta de resposta da testosterona no soro e na ativação do receptor de androgênio sugere que os efeitos da maca são produzidos por uma via diferente da testosterona e seu receptor.

Função reprodutiva feminina e menopausa

Estudos realizados em camundongos demonstraram aumento nos níveis de progesterona (hormônio fundamental na fertilidade feminina e na gestação) e redução da morte embrionária a partir do consumo de maca peruana.

Outro ensaio clínico realizado com mulheres na perimenopausa e pós-menopausa observou elevação nos níveis de estradiol, que costuma ser baixo na menopausa e também exerce importante papel no ciclo menstrual, fertilidade feminina e resposta do organismo à progesterona.

Memória, depressão e ansiedade

Em um teste comparativo, realizado também em camundongos, entre as macas peruanas negra, amarela e vermelha, foi possível observar que a maca negra apresenta o melhor desempenho em relação a aprendizagem espacial.

Outro estudo parecido demonstrou que a mesma variedade da raiz foi capaz de reverter os danos cognitivos, incluindo prejuízos à memória e a aprendizagem ocasionados por escopolamina, um antagonista do receptor muscarínico que imita a doença de Alzheimer.

Ratos recém desmamados também foram tratados com maca amarela por 15 dias e obtiveram redução do dano oxidativo cerebral.

Em humanos, a maca parece reduzir os escores de depressão em homens adultos aparentemente saudáveis e a administração de 3,5g de maca peruana por seis semanas demonstrou reduzir os sintomas psicológicos das mulheres na pós menopausa, incluindo ansiedade e depressão.

Aumento da energia, disposição mental e resistência física

A maca também possui grande quantidade de compostos bioativos (macaenas, macamidas e fitoesteróis), diferentes tipos de glucosinolatos (GLs) e compostos fenólicos que proporcionam melhorias na saúde das células e tem efeito adaptativo em relação ao estresse mental.

Estudo demonstrou que a administração de extrato de maca por 14 dias melhorou o tempo de desempenho em uma corrida de ciclismo de 40km.

Outro ensaio clínico realizado com dez jogadores de futebol profissional, que receberam três cápsulas contendo extrato de maca fresca por 60 dias – contendo 500mg da raiz em cada – proporcionou aumento médio de 10,3% no consumo de oxigênio após a administração, melhorando o desempenho dos atletas.

Hiperplasia benigna de próstata

A próstata é uma glândula sexual que contribui com 30% do líquido seminal total e entre as funções de suas secreções está o fornecimento da capacidade de fertilização aos espermatozóides.

A partir dos 40 anos de idade, quase metade dos homens começam a observar um crescimento da próstata, também chamado de hiperplasia prostática benigna (HPB) que é caracterizada por sinais e sintomas do trato urinário que afetam a qualidade de vida.

Estudos realizados com a administração de extrato de maca vermelha em ratos adultos foi capaz de inverter este efeito na próstata sem alterar o peso das vesículas seminais, já em outro grupo de ratos do mesmo estudo que recebeu o medicamento finasterida, o aumento da próstata foi revertido, acompanhado de redução no peso das vesículas seminais, o que sugere que a maca atua dentro da célula em fatores de transcrição ou por via estrogênica.

VEJA TAMBÉM:  Uso de suplementos: entenda como funciona para ganho de massa muscular

Osteoporose

A menopausa é caracterizada por uma redução nos níveis de estrogênio, o que desencadeia uma série de fatores que podem levar à osteoporose.

A reposição hormonal comum nesta fase da vida ajuda a reduzir a perda óssea e diminuir o risco de fraturas, mas, assim como na reposição de testosterona em indivíduos com disfunção sexual, apresenta diversos efeitos colaterais a médio e longo prazo. Por isso, a terapêutica baseada em fitoterapia pode auxiliar.

Metabolismo e anti-envelhecimento

A maca amarela é capaz de reduzir os níveis de glicemia e aumentar os níveis de insulina em ratos diabéticos. Administrada a 1% na dieta de ratos adultos, a maca também demonstrou bons resultados na melhora do perfil lipídico e aumento na tolerância a glicose em animais hipergliceridêmicos.

Habitantes de aldeias peruanas que consomem a maca regularmente possuem menor pressão arterial sistólica do que aqueles que não a consomem. A maca também inibe significativamente a enzima conversora de angiotensina in vitro e contém altos níveis de potássio, um importante mineral para reduzir o risco de hipertensão.

Estudo realizado com população da região de Junin, que relatou consumir a maca regularmente, observou menor teor de isoleucina 6, um composto que é aumentado em idosos e está associado ao envelhecimento. Estes indivíduos também apresentaram maior sucesso em testes onde foi necessário sentar e levantar de uma cadeira cinco vezes sem usar os braços como suporte, demonstrando melhores condições de vitalidade e saúde.

Também são encontrados estudos que apontam um possível papel do consumo da maca peruana no aumento da massa muscular daqueles que realizam treinos de hipertrofia, quando associado à uma alimentação saudável, devido à sua relação com a testosterona e a melhora da disposição que seu consumo pode proporcionar, melhorando o desempenho no exercício.

Como consumir a maca peruana?

A maca peruana pode ser utilizada de diversas formas, agregando valor nutricional às preparações culinárias onde é acrescentada:

  • Farinhas ganham muito quando recebem o pó da maca peruana e assim podem ser utilizadas no preparo de bolos, pães, biscoitos e panquecas, apesar dos componentes nutricionais diminuírem um pouco com o aquecimento;
  • Bebidas como sucos, vitaminas e smoothies também podem receber a maca como complemento, mas precisam ser triturados no liquidificador, pois o pó proveniente desta poderosa raiz é muito fibroso;
  • Frutas, iogurtes e cremes de frutas também são ótimas bases para a maca peruana, pois preserva melhor os seus benefícios quando acrescentada a alimentos frios. Experimente adicionar a maca em bananas com canela em pó ou cremes de abacate e manga;
  • Também combina muito com patês e pastas de amendoim!

Viu como é fácil incluir a farinha de maca peruana em sua dieta e usufruir dos benefícios que este super alimento pode agregar à sua vitalidade, disposição e saúde?! Aproveite!

Referências:

  1. Gonzales GF, Villaorduña L, Gasco M, Rubio J, Gonzales C. Maca (Lepidium meyenii Walp), una revisión sobre sus propiedades biológicas. Rev Peru Med Exp Salud Publica. 2014;31(1):100-10.
  2. Oliveira, JC. Abordagem farmacêutica e terapêutica da Lepidium meyenii Walp. (MACA): uma revisão de literatura. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências de Saúde, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-graduação em Farmacologia, Mestrado Profissional em Farmacologia Clínica, Fortaleza, 2011.
  3. Revista Saúde Abril. Home >Alimentação >Maca peruana: quais os benefícios e como usar. Disponível em https://saude.abril.com.br/alimentacao/maca-peruana-quais-os-beneficios-e-como-usar/. Acesso em 09.07.2018.

Sobre o autor

Nutricionista com CRN 44307

Faculdade de Nutrição – Universidade Presbiteriana Mackenzie
Cursos intensivos de extensão em Nutrição Clínica Aplicada e Personal Diet
Pós graduanda em Nutrição Clínica: do Home-care ao Hospital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *