Para que servem as vitaminas do complexo B e quais suas funções e benefícios

Para que servem as vitaminas do complexo B e quais suas funções e benefícios

A palavra vitamina vem da junção das palavras vitalamina, descrita pelo químico Casimir Funk, em 1912. Ele é o responsável por descobrir a vitamina B do arroz, mais especificamente do farelo de arroz.

A primeira vitamina B descrita foi a Tiamina, por isso ficou conhecida como vitamina B1.

São chamadas de complexo de vitaminas, porque foram originalmente obtidas das mesmas fontes: o fígado e as leveduras.

Curiosidade: O organismo não é capaz de produzir essas vitaminas em quantidades suficientes!

As vitaminas são moléculas orgânicas, presentes em alimentos, que funcionam como catalisadores para reações dentro do organismo.

Do que se trata um catalisador?

Um catalisador é uma substância que permite que uma reação química ocorra usando menos energia e menos tempo do que levaria em condições normais.

Portanto, o complexo de vitaminas B atua otimizando os processos químicos dentro do nosso corpo, além é claro, de outros benefícios à saúde.

Consequentemente, podem ser considerados essenciais para uma boa qualidade de vida e dependentes de uma boa alimentação.

Quanto às propriedades físico-químicas, as vitaminas podem ser divididas em dois grupos:

  • Solúveis em gordura (lipossolúveis) – As vitaminas lipossolúveis são A, D, E e K.
  • Solúveis em água (hidrossolúveis) – As vitaminas hidrossolúveis são as do complexo B e a vitamina C

De modo geral, agem na transformação de energia e também atuam em diversos sistemas e auxiliam nas respostas imunológicas do organismo, conferindo proteção.

Finalmente, vamos entender melhor sobre suas funções e benefícios da vitamina B?

QUAIS AS VITAMINAS DO COMPLEXO B?

É chamado de complexo vitamínico, pois envolve 8 vitaminas, dentre elas:

  • Vitamina B1 – Tiamina
  • Vitamina B2 – Riboflavina
  • Vitamina B3 – Niacina
  • Vitamina B5 – Ácido Pantotênico
  • Vitamina B6 – Piridoxina
  • Vitamina B7 – Biotina
  • Vitamina B9 – Ácido Fólico
  • Vitamina B12 – Cianocobalamina

Uma vez que não são normalmente armazenadas em quantidade significativas no organismo, se faz necessário o consumo diário dessas vitaminas.

Quais suas funções e benefícios gerais?

De uma forma geral, atuam no metabolismo da glicose, fornecendo energia para o organismo.

Agem também no metabolismo de gordura a proteínas para conversão em energia.

São essenciais na transformação de energia, atuando de forma indireta, como cofatores em processos químicos.

Melhoram a pele, a oxigenação das células, auxiliam no funcionamento do metabolismo e ajudam nos processos de cura e rejuvenescimento.

Finalmente, auxiliam no funcionamento do sistema nervoso, para tônus muscular no estômago e no trato intestinal.

A carência de vitaminas no organismo é chamada de hipovitaminose e é responsável pelo aparacimento de algumas doenças.

Para suprir todas as necessidades de vitamina B recomenda-se o consumo diário de frutas, legumes, verduras, grãos, carnes, ovos e leite.

Funções das Vitaminas do complexo B

Vitamina B1

Mantém o sistema nervoso e circulatório em funcionamento.

Além disso, previne o envelhecimento, melhora a função cerebral e combate a depressão e fadiga.

A deficiência de vitamina B1 está associada, principalmente, ao beribéri (doença que causa inflamação, lesões degenerativas dos nervos, sistema digestivo e coração).

As causas da deficiência podem ser a ingestão insuficiente, uma dieta rica em carboidratos e situações que requerem quantidades adicionais de vitamina B1, como por exemplo, gravidez, lactação e crescimento.

Pode estar relacionada também com doenças crônicas ou quadros de anorexia e alcoolismo, cirurgia bariátrica e hemodiálise.

Os sintomas são falta de apetite, intestino “preso”, enjoo, depressão, irritabilidade, fraqueza muscular e fadiga.

Outros sintomas são confusão mental, ataxia (“cambalear”) e oftalmoplegia (perda da coordenação ocular).

É um nutriente essencial para a conversão do carboidrato em energia no corpo.

Vitamina B2

A vitamina B2 é responsável por manter as funções do metabolismo em condições normais e atua como auxiliar em reações importantes para o organismo.

Assim como a vitamina B1, também participa da conversão do carboidrato em energia.

É essencial para o crescimento das células, produção de células vermelhas (sangue), para a saúde dos olhos e da pele e para a produção do hormônio adrenalina.

Está associada à prevenção de catarata.

Os sintomas da deficiência da vitamina são: dermatite, queilose (fissuras nos cantos da boca), glossite (língua parece lisa e púrpura) e problemas de visão.

Vitamina B3

Está envolvido na redução do triglicérides e colesterol, bem como auxilia no funcionamento adequado do sistema nervoso e imunológico.

É mais uma vitamina do complexo B que atua no metabolismo de carboidrato, bem como dos aminoácidos e de gorduras, além de participar da produção de hormônios.

Pode ser sintetizada pelo organismo a partir do triptofano, por esse motivo é importante a ingestão adequada desse aminoácido.

Um quadro de deficiência de vitamina B3 pode causar pelagra (nome dado a deficiência desta vitamina), doença que envolve a pele, o trato gastrintestinal e o sistema nervoso central.

Os sintomas da pelagra são: dermatite, diarreia, demência, podendo levar morte se não for tratada.

Vitamina B5

Auxilia na formação das células vermelhas (sangue) e na desintoxicação química.

Previne degeneração das cartilagens e ajuda na produção de anticorpos, ou seja, é importante para a imunidade.

Está envolvida ainda na produção de hormônios esteroides, colesterol e fosfolipídeos (substância presente nas “paredes” das células).

Quadros de deficiência podem se instalar em pacientes em hemodiálise, no consumo excessivo de álcool e em mulheres que usam contraceptivos orais.

Indivíduos diabéticos possuem maior risco de apresentar baixos níveis de Vitamina B5 devido à eliminação excessiva pela urina.

No entanto, a deficiência de vitamina B5 é mais rara, pois é produzida pela flora bacteriana.

Vitamina B6

Está relacionada com a redução do risco de doenças cardíacas, ajuda na manutenção do sistema nervoso central e no sistema imunológico.

Também é capaz de reduzir enxaquecas e náuseas. Age ainda sobre o sono, na síntese de neurotransmissores, na regulação da glicose cerebral.

Além disso, é um nutriente muito importante para o cérebro, em processos inflamatórios e alteração cognitiva.

A deficiência de vitamina B6 está fortemente envolvida com quadros de depressão e demência.

O estresse crônico, bem como diálise, consumo excessivo de proteínas na gravidez são fatores que podem esgotar a vitamina B6, requerendo a utilização de suplementação como opção terapêutica.

Desse modo, níveis adequados de vitamina B6 podem contribuir para a redução do estresse e fadiga e aumento da concentração, principalmente no ambiente de trabalho.

Vitamina B7

Promove o crescimento celular e atua, de forma ativa, na captação da glicose hepática (fígado) e produção de energia através da glicose e da gordura.

Previne a calvície e também alivia as dores musculares.

Interfere também no metabolismo de gorduras, proteínas e carboidratos.

A deficiência de vitamina B7 é rara, pois se encontra de forma abundante nos alimentos.

No entanto, pode ocorrer em indivíduos com má absorção intestinal, causando dermatite esfoliativa ao redor do olhos, nariz e boca, além de conjuntivite.

Vitamina B9

Promove a saúde dos cabelos e da pele, além de ser essencial na “produção” de DNA.

Fornece nutrientes para garantir a manutenção dos sistemas imunológico, circulatório e nervoso.

Atua também no controle do câncer de mama e cólon e é essencial para a formação de células do sangue.

Protege ainda contra doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.

É a vitamina B com uma de suas funções mais importantes, pois é essencial durante a gestação, uma vez que está relacionada à formação do tubo neural ao nascimento, prevenindo doenças como espinha bífida e anencefalia.

A deficiência de vitamina B9 a pode implicar ainda na doença de Alzheimer, síndrome de Down e desordens cerebrais.

O principal sintoma de deficiência é a anemia megaloblástica.

Vitamina B12

É a única vitamina B produzida somente por bactérias.

É encontrada em alimentos de origem animal, como laticínios, carnes, peixes e ovos.

Age sobre os glóbulos vermelhos, células nervosas, no equilíbrio hormonal e na pele.

A falta de vitamina B12 pode provocar alterações no sangue, neurológicas e cardiovasculares, além de anemia perniciosa (uma forma de anemia megaloblástica).

Dietas vegetarianas, geralmente, precisam incluir suplementos para suprir as necessidades de vitamina B12 para evitar o aparecimento de doenças.

Para saber mais sobre as funções da vitamina B12 e suas fontes alimentares, clique nesses links!

Alimentação e Vitamina B

Os alimentos com maires concentrações de vitamina B são o levedo de cerveja, fígado, grãos de cereais integrais, arroz, nozes, leite, ovos, carnes, peixes, frutas e hortaliças verde escuras, dentre outros.

Desse modo, fica evidente a importância de uma alimentação variada garantindo o consumo de vitamina B em quantidades adequadas.

Vale ressaltar que devido a serem absorvidas pelo intestino, é preciso manter uma boa saúde intestinal.

Considerações

A vitamina B12, juntamente com a vitamina B6 e B9 são capazes de reduzir o risco de acidente vascular cerebral (AVC), atrofia cerebral, doença e alzheimer e fratura óssea.

A homocisteína (aminoácido), funciona como um marcador para a deficiência das vitaminas B6, B9 e B12 em exames laboratoriais.

O papel da vitamina B na saúde é amplo e sua suplementação deve ser muito bem respaldada para evitar excessos.

Exames laboratoriais são um boa forma de avaliação, indicando se há ou não deficiência.

Entretanto, no caso da anemia perniciosa, a forma mais direta de identificar é a endoscopia gástrica com biópsia em pacientes com baixos níveis e vitamina B12.

Ainda assim, são necessários outros exame para confirmar o diagnóstico.

Referências:

  1. Kennedy, D. O. B Vitamins and the Brain: Machanisms, Dose and Efficacy – A Rewiew. Nutrients. 2016, 8,68. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4772032/
  2. Dossiê Vitaminas. Food Ingredients Brasil. 2015, n 29.
  3. Vanucchi, H.; Cunha, S. F. C. Vitaminas do Complexo B: Tiamina, Riboflavina, Niacina, Piridoxina, Biotina e Ácido Pantotênico. International Life Sciences Institute. 2009.
  4. Paniz, C. et al. Fisiopatologia da Deficiência de Vitamina B12 e seu Diagnóstico Laboratorial. Bras. Patol Med Lab. 2005, v 41, n 5, p 323-34. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-24442005000500007
  5. Rubert, A. et al. Vitaminas do Complexo B: uma breve revisão. Revista Jovens Pesquisadores, Santa Cruz do Sul. 2017, v 7, n 1, p 30-45. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/jovenspesquisadores/article/viewFile/9332/6112
  6. Stough, C. et al. Reducing occupational stress with a B-vitamin focussed intervention: a randomized clinical trial: study protocol. Nutrition Journal. 2014, 13:22. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4290459/pdf/12937_2014_Article_855.pdf
  7. Zago, M. A. Carências de Folatos ou Vitamina B12. Anemias Megaloblásticas. Tratado de Hematologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *