Efeito sanfona: o que é e como evitar

Aumenta-diminui, engorda e emagrece, como uma sanfona, daí o termo “efeito sanfona”, bastante conhecido e temido no mundo das dietas, sobretudo das mais radicais. Conheça mais sobre ele.

O que é o efeito sanfona

O efeito sanfona é quando uma pessoa emagrece, mas, depois de um período, volta a ganhar o peso perdido ou até pode ultrapassar o peso inicial. O termo é utilizado, sobretudo, quando este processo de perda e ganho de peso acontecem repetidamente ao longo do tempo, sendo em curto ou longo prazo.

Este processo da variação brusca de peso pode ocorrer em diversos momentos – na manutenção do peso, ou seja, depois da dieta ou mesmo por compulsão (bastante recorrente em dietas muito restritivas). Aliás, o efeito sanfona está bastante relacionado com dietas de restrição severa, sem acompanhamento ou planejamento. Para evitá-lo é fundamental que ocorra de fato uma mudança de hábito alimentar, já que manter um peso saudável exige cuidado contínuo.

O que provoca o efeito sanfona

Dietas muito restritivas podem confundir o organismo. O corpo pode perceber durante a dieta que está passando por privação energética e, assim, pode diminuir seu gastro energético (economizar energia), e quando a pessoa volta a comer de maneira “normal”, pode ter dificuldades para manter o peso atingido.

Ainda, o corpo geralmente acostuma-se com seu peso mais comum ao longo do tempo, e lança mão de mecanismos para continuar com este mesmo peso, daí também a dificuldade da chamada fase de manutenção, que acontece pós-dieta de perda de peso. Esta fase é tão importante quanto a própria dieta, por isso, existe a necessidade de atenção constante e planejamento.

Além dos fatores acima mencionados, a compulsão alimentar, também relacionada principalmente a períodos de restrição, pode levar ao efeito sanfona. A pessoa se submete a uma dieta, não sustenta o tratamento e desiste, então, começa a comer compulsivamente e ganha o peso perdido rapidamente.

Consequências para o corpo

Alguns estudos sugerem que o efeito sanfona pode sim ocasionar alguns desequilíbrios ao corpo e aumentar o risco de certos problemas de saúde, como a hipertensão, a diabetes e até problemas cardiovasculares. Isto sem falar nos fatores psicológicos envolvidos: perder e ganhar peso pode deixar o indivíduo desencorajado ou deprimido, com sensação de fracasso.

Ainda existem os efeitos negativos de diferentes dietas de restrição. Cada dieta pode levar a diferentes consequências caso seja aplicada de maneira não planejada.

Mas, de maneira geral, especialistas afirmam que no caso de adultos obesos, mesmo ocorrendo a variação de peso, deve-se continuar com as tentativas de perder peso para melhorar a saúde e reduzir o risco de desenvolver doenças relacionadas à obesidade. E mais uma vez: o acompanhamento profissional é fundamental!

Como prevenir o efeito sanfona

Apesar das dificuldades e desafios relacionados ao efeito sanfona, temos algumas dicas para evitar o efeito sanfona e auxiliar na manutenção do peso corporal saudável:

  1. Tenha o acompanhamento de um profissional médico ou nutricionista para o planejamento de dietas e também na fase da manutenção.
  2. Evite dietas da moda ou altamente restritivas, sobretudo sem acompanhamento profissional; elas podem não só levar ao efeito sanfona e suas consequências, mas também prejudicar a saúde de diversas maneiras.
  3. Faça exercícios físicos! Sim, a reeducação alimentar, idealmente, deve vir acompanhada de um programa de exercícios para melhores resultados e manutenção. Para a prática de exercícios também é importante o acompanhamento de um profissional educador físico.
  4. Conheça seu corpo! Preste atenção nas sensações de fome e saciedade, aprenda a identificá-las e administrar suas refeições.
  5. Fique atento ao seu peso, mas não obcecado. É fundamental que nos pesemos periodicamente para não perder o controle dos quilos a mais, ou mesmo é possível identificar o ganho de peso no espelho ou nas roupas. Mas, apesar de ser importante prestar atenção nos números da balança, é ainda mais fundamental saber que pequenas flutuações no peso são comuns, não é bacana ficar obcecado.
  6. Não espere milagres. A reeducação alimentar é um processo, que pode ser lento, mas é só assim que conseguirá a manutenção de um peso saudável sem estresse.
  7. Tenha uma alimentação baseada em alimentos in natura ou minimamente processados, evite alimentos ultraprocessados, formulações compostas por muitos ingredientes e aditivos alimentares.

O efeito sanfona assombra muitos que tentam perder peso, mas saiba que com a reeducação alimentar, mudanças de hábitos e exercícios regulares é possível alcançar e manter o peso saudável.

Referências:

  1. Skender ML, Goodrick GK, Del Junco DJ, Reeves RS, Darnell L, Gotto AM, Foreyt JP. Comparison of 2-year weight loss trends in behavioral treatments of obesity: diet, exercise, and combination interventions. J Am Diet Assoc. 1996 Apr;96(4):342-6. PubMed PMID: 8598434. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/8598434. Acesso em 16 de janeiro de 2018.
  2. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica.
    Guia alimentar para a população brasileira / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed., 1. reimpr. – Brasília : Ministério da Saúde, 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *