Benefícios da ribose para o treino e como utilizar

Benefícios da ribose para o treino e como utilizar

PUBLICIDADE

A Ribose é um tipo de carboidrato que pode ser encontrada em todas as células vivas.

Ela é um suplemento utilizado entre os praticantes de atividade física, pois auxilia no combate à fadiga (aquele cansaço durante o exercício, sabe?), aumento da resistência dos músculos, aumento da energia e prevenção da dor muscular após o treino.

A seguir vamos explicar com mais detalhes como ela funciona e o porque de oferecer tantas vantagens.

Funções da Ribose

Além de estar envolvida na produção de ATP, responsável por fornecer energia para as células, ela também é constituinte importante do ácido ribonucléico (RNA) e do ácido desoxirribonucléico (DNA), as famosas substâncias envolvidas na transmissão das nossas características hereditárias, como cor do cabelo, cor dos olhos, altura e etc…

É também componente na estrutura de outras células fundamentais do organismo, como a vitamina B2!

Comportamento das Células Durante o Exercício

O exercício físico é responsável por diversas alterações no corpo humano.

O treinamento físico gera, por exemplo, o aumento da produção de glicogênio (a nossa principal reserva de energia), maior captação de glicose (açúcar) pelos músculos, redução da resistência de insulina, melhora da oxidação de lipídios, etc. Entretanto, o exercício, principalmente quando praticado de forma mais intensa, é responsável por provocar o desgaste energético nas células musculares.

Dependendo do nível de condicionamento físico, a recuperação após o treino pode ser mais ou menos demorada. Assim quem está mais condicionado consegue quebrar e utilizar melhor a gordura como forma de energia em relação a quem está começando, além de se recuperar mais rapidamente do treinamento.

Toda célula requer níveis adequados de ATP para a manutenção da energia. Durante exercícios intensos, de longa duração, os níveis de ATP reduzem significativamente na musculatura esquelética.

Ribose e a Atividade Física

Os derivados da ribose, como o ATP e o NADH, são as bases que fornecem energia para o seu músculo funcionar como deve. Em exercícios mais intensos, ocorre uma utilização maior deles do que o organismo consegue repor pela falta de oxigênio dentro do músculo, o que acaba causando fadiga muscular e também aquelas conhecidas e desagradáveis dores no corpo.

Uma vez que uma molécula de ATP é perdida, a recuperação do tecido muscular é lenta. O estresse causado pela atividade física intensa resulta em lesões celulares, reduzindo significativamente a concentração de ATP nos músculos exercitados.

Essa recuperação dos níveis de energia na musculatura podem demorar dias, pois envolve nova produção de ATP, o que pode afetar diretamente a performance do treino.

Visando a melhor recuperação, da forma mais rápida possível, atualmente é estudado a utilização de substâncias que parecem conter a habilidade de repor a “diminuição” de energia.

A suplementação de ribose parece ser capaz de acelerar significativamente esse processo. Conhecido como D-Ribose, esse suplemento tem seu uso justificado devido aos baixos níveis de ribose encontrados naturalmente nos alimentos.

Benefícios da Ribose para o Treino

A suplementação de ribose aumenta a produção de energia na musculatura enquanto estamos em repouso, fazendo com que a prática de exercícios intensos não possua efeito redutor do ATP no período de recuperação após o exercício.

VEJA TAMBÉM:  Fitoterápicos: o que são, benefícios e como usar com segurança

Entre os benefícios associados à suplementação de D-ribose, estão:

  • Combate à fadiga;
  • Protetor da saúde do coração;
  • Aumento da resistência dos músculos;
  • Aumento do desempenho físico;
  • Prevenção da dor muscular pós treino;
  • Aumento da energia;
  • Rápida reposição de ATP;
  • Aumento da velocidade de recuperação energética;
  • Aumento da produção de ATP no coração e músculos;
  • Preservação dos níveis de energia celular;
  • Suplementação pós cirúrgica de pacientes cardíacos ou infartados.

Entenda algumas dessas propriedades a seguir.

Energia Celular

A D-ribose parece ser benéfica para a produção de energia celular necessária, ATP, durante o exercício de alta intensidade. Na teoria, ao utilizar esse carboidrato para produzir mais ATP, nosso organismo conseguiria se recuperar mais facilmente da energia que foi perdida pelo exercício intenso.

Melhora da Performance

A ribose é capaz de melhorar a recuperação de ATP, aumentando a energia celular durante a prática de exercícios intensos, consequentemente melhorando a performance.

Esse efeito é ainda muito discutido pelos estudos científicos. Porém, sabe-se que a suplementação pode ser interessante no caso de atletas, em que segundos ou mesmo milésimos podem fazer a diferença na obtenção de resultados.

Pacientes Cardíacos

Apesar do seu efeito ergogênico (ou seja, o efeito de melhorar o desempenho esportivo) ser limitado, a suplementação de D-ribose pode aumentar a capacidade de exercício em pacientes com problemas no coração.

Funciona, também, como um protetor cardíaco. Após infarto, o fluxo sanguíneo é restaurado, fazendo com que as células utilizem muita energia para reparar o dano. Dessa forma, a utilização de suplementação de ribose em pacientes cardíacos pós cirúrgicos ou infartados parece ser interessante, para melhorar a eficácia da recuperação celular.

Onde a Ribose pode ser Encontrada

A ribose pode ser encontrada na forma de pó (para preparo de shakes, iogurtes, mousses etc), comprimido, e também na forma adicionada à alimentos, como bebidas e barras de cereais.

O suplemento D-ribose pode ser encontrada em lojas físicas e virtuais, que vendem produtos voltados para suplementação nutricional.

Como Utilizar a D-Ribose

A D-ribose pode ser indicada para praticantes de atividade física, para prevenção da dor muscular tardia, aumento do desempenho físico, pacientes cardíacos, pacientes com fibromialgia ou síndrome da fadiga crônica (SFC).

É importante ressaltar a importância do acompanhamento profissional ao se utilizá-la, pois o consumo incorreto do suplemento D-ribose pode acarretar em efeitos indesejados, como a indução de um quadro de hipoglicemia (queda brusca do açúcar no sangue) e aumento dos níveis de ácido úrico.

Alguns outros efeitos colaterais podem incluir náuseas e desconfortos abdominais. Sempre procure orientação profissional.

Formulações

As formulações contendo D-ribose variam conforme a necessidade do paciente e indicação médica.

Geralmente, para praticantes de atividade física (atletas de elite e praticantes recreativos) as formulações são elaboradas com uma mistura da D-ribose com outros componentes, como o Whey Protein.

Modo de Usar

Após a obtenção da formulação, pode-se diluir o conteúdo em água e beber imediatamente. O consumo deve ser logo após o término do treino.

VEJA TAMBÉM:  Picolinato de cromo: para que serve, como usar e onde comprar

A dosagem deve ser estabelecida de acordo como orientado pelo médico ou nutricionista, e pode variar conforme as necessidades de cada paciente.

Fatores Nutricionais Importantes

A suplementação de nutrientes, ao se buscar determinados benefícios ao corpo humano, é um assunto que depende de muitos fatores nutricionais.

Garantir os efeitos desejados pelos suplementos é muito mais complexo do que se imagina, uma vez que nenhum nutriente isolado atua sozinho no organismo.

Apesar da função comprovada da ribose, não deve-se ignorar que outros fatores nutricionais também possuem influência na função celular. Como por exemplo, a Tiamina.

A Tiamina, também conhecida como vitamina B1, é uma substância necessária para a conversão de glicose em energia. Assim, sua deficiência leva a diminuição drástica na capacidade das células em gerar energia.

Assim como o Cálcio, que atua na transformação de ATP em ADP, e também no fornecimento de glicose para o músculo durante parte da fase aeróbica do exercício.

O magnésio, por sua vez, é um importante ativador enzimático na formação de ATP.

Já a deficiência de zinco, reduz a síntese de DNA e RNA, diminuindo, portanto, a recuperação de tecidos celulares.

Nesse contexto, é possível observar que as questões de saúde não devem ser ligadas apenas aos suplementos alimentares. Sem acompanhamento e estratégias nutricionais adequadas, orientadas por um profissional especializado, é muito mais provável que o suplemento cause mais malefícios do que benefícios.

O equilíbrio é necessário para a qualidade de vida, em qualquer situação nutricional.

Conclusão

Na teoria, a suplementação de ribose possuiria efeito ergogênico, devido sua habilidade de “reproduzir” ATP. Entretanto, muitos estudos realizados ainda confrontam essa teoria, não havendo, até o momento, embasamento científico suficiente que justifique a aplicação da suplementação de ribose como um ergogênico nutricional.

Vale ressaltar que uma dieta equilibrada é o mais importante quando se deseja obter saúde e melhores resultados no treino. Procure um Nutricionista e adeque seu estilo de vida para alcançar seus objetivos.

Referências:

  1. Greenwood, M. et al. Nutritional Supplements in Sports and Exercise. 2ᵃ ed. Switzerland: Springer, 2015.
  2. Krause, MV. Mahan, LK. Escott-stump, S. Krause – Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 12ᵃ ed. 2ᵃ tiragem. São Paulo:Roca, 2010.
  3. Ross, AC. et al. Nutrição Moderna de Shils – na saúde e na doença. 11ᵃ ed. São Paulo: Manole. 2016.
  4. Nelson, DL. Cox, MM. Lehninger Princípios de Bioquímica. 3ᵃ ed. São Paulo. 2002.
  5. Seifert, JG. The influence of D-ribose ingestion and fitness level on performance and recovery. Journal of the International Society of Sports Nutrition. 2017; 14(47): 1-6. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29296106
  6. Iberoquímica magistral. D-Ribose – Suplemento nutricional, energia pré e pós treino, envelhecimento saudável. Disponível em: http://iberoquimica.com.br/Arquivos/Insumo/arquivo-112015.pdf
  7. Senger, CCD. Papel dos Minerais como Cofatores Enzimáticos. UFRGS. 2002. Disponível em: https://www.ufrgs.br/lacvet/restrito/pdf/minerais.pdf
  8. Júnior, HPL. Lemos, ALA. Vitamina B1. Diagn. Tratamento. 2010; 15(2): 69-70. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/1413-9979/2010/v15n2/a69-70.pdf
PUBLICIDADE

Escrito por

Renata Pereira

Nutricionista com CRN 16101015 formada em Nutrição pela Faculdade UNIRIO

Especialista em Nutrição Funcional - UFF Mestranda em Alimentos e Nanotecnologia - UFRJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *