Dieta do metabolismo rápido: o que é, benefícios e cardápio

Comumente nos deparamos com o indesejado “efeito platô“, no processo de perda de peso, não é mesmo?!

Existem vários motivos para que ele aconteça: dietas restritivas por longos períodos, fatores genéticos (metabolismo lento), nível de atividade física, entre outros!

A proposta da dieta do metabolismo rápido é eliminar esse “platô” e promover a perda de 10 quilos em 4 semanas, através de um cardápio dinâmico e variável, dividido em 3 fases!

O que é a dieta do metabolismo rápido

De acordo com a nutricionista e criadora do programa “Dieta do Metabolismo Rápido”, Haylie Pomroy, esse protocolo pode eliminar 10 quilos em 28 dias, e sacode os hábitos alimentares a partir de dois processos:

  1. Devolvendo em abundância ao organismo alguns dos nutrientes vitais que estão em falta, mas nunca da mesma maneira e por mais de dois ou três dias seguidos;
  2. Além disso, a proposta da dieta é “pedir” ao seu corpo para fazer alguma coisa difícil, mas também nunca por mais de dois ou três dias seguidos.

Essa estratégia mantém o corpo trabalhando, “surpreso”, e reverte os padrões bioquímicos que desaceleraram o metabolismo.

Nosso corpo precisa de variedade na dieta para ter todos os nutrientes necessários e realizar todas as funções biológicas, fisiológicas e neuroquímicas. É exatamente isso que as três fases da Dieta do Metabolismo Rápido prometem fazer.

Essa dieta é dividida em 3 fases:

Fase 1

Relaxar o estresse e acalmar as suprarrenais (dias 1 e 2).

Nessa fase, a dieta se concentra em alimentos ricos em carboidratos: frutas, macarrão, arroz, batatas e torradas. Esses alimentos com alto teor de carboidratos e baixo teor de gorduras e proteínas nutrem as suprarrenais (glândulas do nosso corpo associadas ao hormônio do estresse e “reserva de gordura”, o cortisol) e, portanto, acalmam o estresse fisiológico.

Frutas, doces e grãos integrais estimulam a liberação de substâncias no cérebro que trazem sensação de prazer, as chamadas endorfinas! Com isso esses alimentos tornam a a fase 1 leve e motivadora!

A fase 1, Relaxar, “convence o metabolismo” de que não há uma situação de emergência, que ele pode digerir a comida que você está ingerindo, usar a energia, os nutrientes desse alimento, ao invés de armazená-lo como gordura para se proteger de períodos de fome ou privação futura.

Segundo a nutricionista criadora da dieta, os dois primeiros dias funcionam para reeducar o seu corpo a transformar o que você come em energia. É um recado pro metabolismo, tipo: “Calma, está tudo bem”.

Fase 2

Destravar a gordura armazenada e formar músculos (dias 3 e 4).

A fase 2 é completamente diferente da fase 1. É tão concentrada e intensa que dura apenas dois dias.

Os alimentos que devem ser ingeridos nessa fase levarão seu metabolismo a “construir músculo e vasculhar a gordura”.

Essa fase tem uma carga glicêmica bem baixa, ou seja, a oferta de alimentos fontes de carboidratos estará reduzida, isso mesmo, o oposto dos 2 primeiros dias da dieta…

Nos dias da segunda fase, o importante são as proteínas magras das carnes brancas (como frango, peru e peixes brancos), carnes bovina e suína magras e claras de ovos. Você também vai consumir muitos vegetais alcalinizantes, de baixo índice glicêmico, como repolho e pepino, brócolis e couve, alface e espinafre, e ainda vegetais sem amido, como cogumelos, pimentões vermelhos e cebolas.

Os músculos são feitos com aminoácidos, provenientes da quebra da proteína ingerida. O consumo contínuo de proteína de fácil digestão (isto é, com pouca gordura) manterá a formação dos músculos. Isso é crucial na fase 2.

Fase 3

Liberar a queima: hormônios, coração e aquecimento (dias 5 a 7).

Na fase 3, que deve durar até 3 dias, é o período no qual, de acordo com Haylie Pomroy, o organismo libera todo o potencial de um “metabolismo amarrado”.

Nesta fase, depois de quatro dias (fase 1 e 2 são pobres em gorduras, lembra?) comendo pouca gordura, você trará a gordura de volta. Você começa a queimar a gordura que está ingerindo, assim como toda a gordura destravada na fase 2. A fase 3 tem alto teor de gorduras, proteínas e carboidratos moderados e frutas de baixo índice glicêmico.

Ainda de acordo com a descrição da dieta, é na fase 3 que você vai começar realmente a ver algumas mudanças. Esta é a fase que “achata” a barriga e elimina a celulite, que muda sua aparência.

Importante ressaltar que as gorduras da fase 3 não são quaisquer gorduras como você pode estar imaginando!

Esta etapa tem foco em gorduras saudáveis, como a do abacate, castanhas e sementes, assim como a do azeite de oliva e a do óleo de gergelim.

Resumo

A Dieta do Metabolismo Rápido é um protocolo alimentar que dura inicialmente 28 dias, e é dividido em 3 fases:

  • Fase 1 : Relaxar o estresse e acalmar as suprarrenais (dias 1 e 2);
  • Fase 2: Destravar a gordura armazenada e formar músculos (dias 3 e 4);
  • Fase 3: Liberar a queima: hormônios, coração e aquecimento (dias 5 a 7).

Cada uma das fases alterna a oferta de carboidratos, proteínas e gorduras e dura pouco tempo para que você não esgote nenhum sistema ou parte de você mesmo.

Quais os benefícios desta dieta

Além de promover a perda de peso, essa dieta garante mudar hábitos de vida tanto alimentares, quanto aqueles relativos ao sedentarismo, uma vez que para potencializar os efeitos de cada fase você deve associar algum tipo de atividade física.

Outro ponto importante é que de maneira geral não há grandes restrições, então você pode comer de maneira realmente saudável, priorizando alimentos bons para a saúde!

Cardápio de exemplo para fazer a dieta do metabolismo rápido

Segunda e Terça (Fase 1)

Nessa fase, você vai levantar de manhã e tomar café até 30 minutos depois de acordar.

  • Café da manhã: 1 vitamina feita com ½ xícara de aveia sem glúten, ½ xícara de mix de mirtilo, morango e amora, 1 maçã pequena, 1 cubo de gengibre, hortelã e gelo ou 1 tapioca ou 1 bolacha de arroz grande com pasta de grão-de-bico. 
  • Lanche da manhã: 1 fruta (opções: manga, abacaxi, tangerina, melão ou morango).
  • Almoço: salada com verduras e legumes à vontade, temperada com limão, gengibre e pimenta, 150 g de filé de frango refogado com brócolis e ½ xícara de quinoa cozida.
  • Lanche da tarde: ½ xícara de melancia em cubos com 1 colher de chá de limão siciliano ou 1 fatia de abacaxi.
  • Jantar: salada com folhas e legumes, 100 g de filé de frango grelhado, 4 colheres de sopa de arroz integral com abobrinha ralada ou 1 tortilla integral com salada e 1 maçã. E não se esqueça de usar as sobras. Se estiver no segundo dia da fase 1, pode comer as sobras do jantar do dia anterior.

Quarta e Quinta-feira (Fase 2)

Na fase 2, você vai levantar de manhã e tomar café até 30 minutos depois de acordar.

  • Café da manhã: 1 omelete de clara de ovo com espinafre ou peito de peru com folhas de alface.
  • Lanche da manhã: 2 fatias de peito de peru com pepino ou 2 colheres de sopa de atum em água e talos de erva-doce à vontade.
  • Almoço: salada de rúcula, alface roxa e cogumelo e 1 pimentão recheado com carne moída ou 100 g de filé de atum recheado com pimenta caiena.
  • Lanche da tarde: claras de três ovos cozidos ou atum com aipo.
  • Jantar: prato de sopa de frango desfiado com legumes como brócolis, repolho e acelga. 

Sexta, Sábado e Domingo (Fase 3)

  • Café da manhã: 1 torrada sem glúten com ovo mexido, temperado com orégano e sal e 1 copo de leite de amêndoas batido com 3 colheres de sopa de abacate. 
  • Lanche da manhã: 1 maçã amassada com canela e cacau em pó ou talos de aipo com manteiga de amêndoas.
  • Almoço: salada de verduras e legumes, 150 g filé de salmão ou de frango assado e 1 pêssego.
  • Lanche da tarde: 1 copo de água de coco e ¼ de xícara de nozes ou amêndoas cruas sem sal.
  • Jantar: salada de alface, cogumelo e tomate, ½ xícara de quinoa cozida, 4 colheres de sopa de carne moída refogada com azeitona.

O ideal é que a dieta seja iniciada no começo da semana, deixando a segunda-feira e a terça-feira para a fase 1, a quarta-feira e a quinta-feira para a segunda etapa e os últimos três dias da semana para a fase 3 do programa. 

Alimentos Permitidos

Fase 1: verduras e legumes à vontade (com exceção da batata-doce e cenoura, que devem ser ingeridas moderadamente), frutas, carnes magras em porções pequenas, atum em água, frango sem pele, pescada, clara de ovo, linguiça de frango sem nitrato, sardinha em molho de tomate, grãos e cereais integrais como arroz integral, tapioca e quinoa.

Fase 2: verduras, legumes e as mesmas fontes de proteína animal da fase 1, além da permissão de comer salmão, carne de porco magra, carne seca, cordeiro, tilápia, ostra e peru. No entanto, a única fruta permitida na etapa 2 é o limão.

Fase 3: verduras, legumes, frutas, carnes magras, grãos, cereais integrais e gorduras saudáveis.

Além disso, a Dieta do Metabolismo Rápido precisa ser feita em conjunto com uma vida agitada com relação aos exercícios:

FASE 1: faça pelo menos um dia de exercícios cardiovasculares vigorosos, como corrida, elípticos ou uma aula de aeróbica.
FASE 2: faça pelo menos um dia de levantamento de pesos.
FASE 3: faça pelo menos um dia de atividade para reduzir o estresse, como ioga ou exercícios de respiração profunda; ou faça uma massagem. A massagem não é uma atividade em si, mas aumenta a irrigação do sangue para as áreas com mais gordura do corpo, reduz o cortisol e faz o trabalho que desejamos nessa fase.

Alimentos que devem ser evitados

Os alimentos que deverão ficar de fora do seu cardápios durante a dieta do metabolismo rápido são:

  • Trigo (exceto na forma germinada)
  • Milho
  • Produtos lácteos
  • Soja
  • Açúcar refinado
  • Cafeína
  • Álcool
  • Frutos secos ou sucos de frutas
  • Corantes artificiais
  • Gorduras (as “ruins”)

Referências:

  1. Haylie Pomroy. Dieta do Metabolismo Rápido (1975). Ed. NOVA FRONTEIRA PARTICIPAÇÕES S.A. Rio de Janeiro — RJ — Brasil, 2014. Disponível em: http://lelivros.love/book/baixar-livro-dieta-do-metabolismo-rapido-haylie-pomroy-em-pdf-epub-e-mobi-ou-ler-online/.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *