Benefícios e malefícios da cerveja para a sua saúde

PUBLICIDADE

Para combinar com o verão, hoje você vai conhecer os benefícios e malefícios da cerveja e descobrir se é verdade que a cerveja faz mal.

No happy hour com os colegas de trabalho, no churrasco de fim de semana ou no encontro descontraído com os amigos, a cerveja está sempre presente. Apreciada por homens e mulheres em todo o mundo, a cerveja é oficialmente a bebida alcoólica mais consumida no Brasil e apesar de contra-indicada em alguns casos, cientistas apontam que quando consumida com moderação, a “breja” também pode fazer bem.

Gostou da notícia? Confira a relação dessa bebida tão apreciada com a sua saúde!

Quais os benefícios da cerveja para a saúde

A cerveja é uma das bebidas mais antigas da história da humanidade e não se sabe ao certo onde ela começou a ser feita, no entanto, há evidências de que a bebida maltada já era consumida na Mesopotâmia, região onde a cevada crescia em estado selvagem, há mais de 6.000 anos antes de Cristo, não somente na dieta, mas com função medicinal e estética.

Segundo a legislação brasileira, a “cerveja é a bebida obtida pela fermentação alcoólica do mosto cervejeiro oriundo do malte de cevada e água potável, por ação da levedura, com adição de lúpulo”, mas alguns cereais como trigo, arroz, milho e sorgo, além do açúcar, podem ser utilizados para complementar a produção do mosto, fornecendo açúcares fermentáveis para a levedura cervejeira.

Comparada com outras bebidas como o vinho, licores e bebidas destiladas, a cerveja tem baixo teor alcoólico que pode variar de 3 a 8%, isso ocorre porque a água é a matéria-prima com maior proporção na produção da bebida.

Há dois tipos principais de cerveja: lager (de baixa fermentação) e ale (de alta fermentação). Em terras brasileiras, a maioria das cervejas consumidas são lager, especialmente as american lager e pilsen de coloração dourada e sabor refrescante.

Em relação à saúde, a bebida pode ser considerada uma importante fonte de polifenóis, que atuam combatendo os radicais livres que são formados quando nossas células se deterioram em excesso, deixando o corpo suscetível a várias doenças e provocando o envelhecimento precoce. Assim, o sistema imunológico fica mais forte com o poder antioxidante que a cerveja possui.

Destes compostos bioativos presentes na cerveja, 70% vem do malte da cevada e 30% do lúpulo. Estes antioxidantes também ajudam a reduzir os quadros de inflamações e o risco de desenvolvimento do câncer. Só que os benefícios não param por aí: pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, evidenciaram o elevado teor de silício da bebida, que contribui para o crescimento, desenvolvimento e fortalecimento da densidade óssea, se consumida em pequenas quantidades, que fique claro!

Mas já que estamos falando em um consumo moderado da bebida, você pode imaginar que o que é moderado para o seu amigo pode não ser para você… então vamos definir o que é um consumo moderado de bebida alcoólica.

A Organização Mundial da Saúde define como consumo moderado de álcool a ingestão de uma dose (10 a 15 gramas de etanol) para as mulheres e duas doses para os homens (20 a 30 gramas de etanol). Uma dose equivale a 350 ml da bebida, ou seja, uma long neck ou aproximadamente dois copos de cerveja.

VEJA TAMBÉM:  Castanha do Pará emagrece ou engorda?

E para quem busca além de obter os benefícios para a saúde, perder peso ou manter a forma ainda pode contar com a opção da cerveja sem álcool, a qual possui poucas calorias e baixo teor de carboidratos, além de preservar os nutrientes dos cereais utilizados em seu processo de fermentação, como as vitaminas do complexo B, especialmente a vitamina B9 ou ácido fólico, o que reduz o risco de doenças do coração e preserva a saúde do cérebro.

Além disso, a cerveja sem álcool também conta com os benefícios dos polifenóis que vem da cevada e do lúpulo e ainda são úteis para hidratar, já que conta com sódio e potássio em sua composição, sais minerais que precisam ser repostos junto a água para prevenir e combater a desidratação.

Resumo:

A cerveja é uma bebida de baixo teor alcoólico e pode ser considerada uma fonte dos antioxidantes polifenóis, vindos dos cereais malte e lúpulo em seu processo de fermentação.

Esses antioxidantes podem reduzir os quadros de inflamação, protegendo o coração, além de prevenir doenças e o envelhecimento precoce.

A bebida ainda é rica no mineral silício, que além do cálcio, contribui com a saúde óssea.

Cervejas sem álcool, além dos benefícios da versão alcoólica, podem contribuir com o controle de peso, pois são menos calóricas, além de prevenir a desidratação, por conter os minerais sódio e potássio, necessários na reposição de líquidos.

Benefícios da levedura de cerveja

A levedura de cerveja é um micro-organismo utilizado como fermento biológico na produção de diversas bebidas e também na indústria alimentícia, como para fazer pão, por exemplo.

Resultante da fermentação da bebida é um alimento rico em fibras, vitaminas, especialmente as do complexo B, minerais como selênio, cromo, fósforo, ferro, cálcio, potássio, magnésio, zinco e onze dos doze aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que precisamos obter através da alimentação, pois não são produzidos pelo organismo.

Por isso, muitas pessoas o utilizam como um suplemento nutricional para combater o cansaço físico e mental, melhorar a produção de insulina e favorecer a queima de gordura, que pode ocorrer no organismo através da ação das vitaminas do complexo B e do cromo, presentes neste subproduto da fermentação da bebida.

Agora que você já conhece os principais benefícios da cerveja e sua levedura, conheça os riscos e malefícios da bebida para a saúde.

E os malefícios da cerveja, quais são?

Como nem tudo são flores, apesar dos benefícios que o consumo da cerveja pode proporcionar à saúde, é uma bebida alcoólica e deve ser apreciada com atenção!

Apesar da presença dos antioxidantes e a ação benéfica do silício que pode ajudar na saúde óssea, o consumo aumentado e frequente de álcool pode aumentar o risco de fratura colocando a perder esse fator de proteção dos ossos encontrado na bebida.

Os malefícios da cerveja ainda aumentam quando se considera que o consumo de álcool está fortemente associado ao risco de câncer, lesões e doenças infecciosas, o que compensa os efeitos protetores contra as doenças cardíacas, assim, consumir frequentemente a bebida é assumir um risco para a saúde, mesmo que pequeno, uma vez que pesquisas recentes indicam que não há níveis seguros para o consumo de bebidas alcoólicas.

Outro ponto negativo que não pode deixar de ser considerado é que beber cerveja em grandes volumes pode causar danos neurológicos a longo prazo, afetando habilidades mentais importantes como a cognição, memória e concentração. Então, não esqueça de avaliar os benefícios e malefícios do consumo daquela cerveja geladinha antes de incluir a bebida na sua rotina!

VEJA TAMBÉM:  Já ouviu falar sobre o que é o Slow Food?

Verdades e mitos sobre a cerveja

Vários mitos rodeiam o consumo dessa bebida, que é preferência nacional, mas algumas coisas ditas sobre a cerveja são mesmo verdade. Saiba no que acreditar!

Tomar cerveja dá barriga? Mito!

Na verdade, o consumo moderado dessa bebida não é responsável pela injustamente nomeada “barriga de chopp”, já que a cerveja é uma das bebidas menos calóricas. Mas estudos comprovam que os aperitivos gordurosos e ricos em sódio que geralmente acompanham a bebida sim, contribuem para o aumento de peso e o acúmulo de gordura na região abdominal.

A cerveja é mais saudável que outras bebidas destiladas? Verdade!

A bebida é produzida através de um processo natural, ao contrário de destilados como o whisky e a cachaça e tem teor alcoólico inferior, o que reduz os riscos provocados pelo consumo do álcool e ainda faz com que a cerveja tenha menor potencial de engordar, já que tem menos calorias e fornece nutrientes e antioxidantes que favorecem o bom funcionamento do organismo.

Cerveja de garrafa é mais gostosa que cerveja de lata? Mito!

O material do recipiente no qual a cerveja é armazenada não influencia no sabor, no entanto, a forma de conservar e resfriar a bebida podem interferir no seu aroma e paladar. O importante é mantê-la em temperatura constante, fria ou sem refrigeração, porque as mudanças bruscas de temperatura alteram o sabor e afetam as propriedades nutricionais.

Aproveite os benefícios que essa bebida pode trazer para a sua saúde, mas não esqueça que a moderação é essencial para que o seu organismo usufrua dos seus nutrientes e antioxidantes e sofra um impacto menor dos malefícios que ela pode causar.

Não consuma bebidas alcoólicas se tiver menos de 18 anos de idade, estiver utilizando qualquer tipo de medicamento ou tenha histórico de alcoolismo. Se beber não dirija e se for dirigir não beba!

Lembre-se que todos os benefícios aqui relatados só podem ser obtidos com o consumo moderado de cerveja associado à uma alimentação equilibrada e a prática regular de exercícios físicos.

Referências:

  1. Pittito, BA; Moraes, A.C.F; Ferreira, S.R.G. Dossiê Alcoolismo – O lado saudável do consumo de bebida alcoólica. Revista Usp, São Paulo, n. 96, p. 55-68, dezembro à fevereiro, 2012-2013. Disponível em:
  2. Revista Galileu> Ciência> Saúde >Cerveja. Cientistas revelam benefícios do consumo de cerveja. Publicado em 30.09.2014. Disponível em: https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude/noticia/2014/09/cientistas-revelam-novos-beneficios-do-consumo-de-cerveja.html
  3. Oliveira, N.A.M. Leveduras utilizadas no processo de fabricação da cerveja. Monografia apresentada ao Departamento de Microbiologia do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais, como requisito para obtenção do título de Especialista em Microbiologia Ambiental e Industrial. Belo Horizonte, 2011. 45 p. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/BUOS-99VHHA/195.pdf?sequence=1
  4. Portal BBC Health> Ciência> Alcoolismo> Saúde. Não existe nível seguro para o consumo de álcool – Autor: Laurel Ives. Publicado em 24.08.2018 Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/geral-45294852
  5. Camelo V. et al. Cerveja não alcoólica, antioxidantes e seus efeitos na prevenção de doenças. Rev Bras Nutr Clin 2014; 29 (2): 166-71. Disponível em: http://www.braspen.com.br/home/wp-content/uploads/2016/12/13-Rev-Cerveja-nao-alcoolica.pdf
PUBLICIDADE

Escrito por

Carla Lizandra

Nutricionista com CRN 44307 formada em Nutrição pela Universidade Presbiteriana Mackenzie

Cursos intensivos de extensão em Nutrição Clínica Aplicada e Personal Diet Pós graduanda em Nutrição Clínica: do Home-care ao Hospital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *