Pimenta malagueta: O que é, benefícios, como plantar e usar

A pimenta malagueta é uma espécie muito conhecida da família dos pimentões, famosa principalmente por causa de sua ardência, aroma e gosto fortes. Com altas concentrações de antioxidantes e capsaicina, a pimenta malagueta traz benefícios para a saúde do coração e do sistema imunológico, ajuda na digestão e ainda é um excelente tempero. Pode ser consumida em conserva, fresca, seca, em pó, na preparação de doces, em forma de geleias e até mesmo em chás.

O que é a pimenta malagueta

As pimentas fazem parte da mesma família dos pimentões, Solanaceae, e pertencem ao gênero Capsicum. A pimenta malagueta, de nome científico Capsicum frutescens, é uma das mais conhecidas e utilizadas.

Hoje em dia, no Brasil são cultivadas quatro espécies de pimenta:

  • Capsicum annuum – jalapeño e páprica
  • Capsicum baccatumdedo-de-moça, cambuci e cumari
  • Capsicum chinese – biquinho, bode, habanero e murupi
  • Capsicum frutescens – malagueta e tabasco

A malagueta é rica em capsaicina, um composto responsável pela ardência, presente nas sementes e, principalmente, na placenta (parte branca onde ficam presas as sementes). Além da capsaicina, a pimenta malagueta é rica em betacaroteno, vitamina C, vitamina A, vitamina E e potássio.

Benefícios da pimenta malagueta

Por ter em sua composição capsaicina e muitos antioxidantes, consumir pimenta malagueta todos os dias, em quantidades adequadas, pode fazer muito bem para saúde. A seguir colocamos os principais benefícios da pimenta malagueta:

Auxilia no alívio de dores

A presença da capsaicina ajuda no alívio de dores de cabeça e enxaquecas, assim como dores de articulação e artrite. A capsaicina tem ação analgésica.

Ação antioxidante

A presença de diversos antioxidantes ajuda no combate ao envelhecimento precoce e na prevenção de câncer de próstata e pâncreas.

Melhora da digestão

Facilita a digestão ao aumentar a salivação e a secreção gástrica (do estômago), o que aumentará a produção de enzimas digestivas e de suco gástrico.

Saúde do coração

A presença da capsaicina ajuda a controlar os níveis de colesterol e estabilizar a pressão arterial, diminuindo os riscos de problemas do coração.

Controle de diabetes

A capsaicina ajuda a diminuir a quantidade de açúcar no sangue e aumenta a quantidade de insulina, controlando a diabetes.

Ajuda na perda de peso

A pimenta malagueta é tão “quente”/ardida, que aumenta a temperatura do corpo, o que acaba gerando um maior gasto energético pelo corpo, além de estimular o sistema nervoso à aumentar a liberação de hormônios que diminuem o apetite, favorecendo assim, a perda de peso. A capsaicina ainda ajuda na queima de gordura localizada.

Resumo

São benefícios do consumo de pimenta malagueta: alívio de dores, prevenção de câncer, diabetes e problemas do coração, combate ao envelhecimento precoce, ajuda na perda de peso e melhora da digestão.

É importante deixar claro que o consumo em excesso da pimenta malagueta pode fazer mal para a saúde.

Se você quer conhecer melhor as propriedades das pimentas em geral, leia nosso artigo: “Pimenta e os seus benefícios para a saúde“.

Como plantar e cultivar

Agora que você já sabe dos benefícios da pimenta, gostaria de ter uma pimenteira em casa? Vamos explicar agora o que você precisa fazer para ter sua pimenteira orgânica.

Você pode começar o cultivo por meio de uma muda ou pode começar do zero, com as sementes. Você encontra as sementes em lojas especializadas, ou até mesmo em alguns supermercados.

Para plantar as sementes, coloque um pouco de terra em um vaso, faça um buraco de 1 cm de profundidade e coloque de 3 a 4 sementes dentro. Regue toda vez que perceber que a terra não está úmida.

A pimenteira pode chegar a 1,5 m de altura, então conforme ela for crescendo, acrescente ao vaso um pedaço de madeira para ajudar na sustentação.

Quando as pimentas começarem a aparecer, espere que o fruto amadureça (coloração vermelha) e colha suas pimentas malaguetas orgânicas.

Para manutenção da planta, basta retirar as folhas secas quando elas aparecerem, e caso queira diminuir a planta, corte os galhos que nascerem abaixo da bifurcação.

Informações importantes!

  • O solo deve ser leve: uma mistura de terra, areia e argila.
  • As pimentas gostam de umidade, mas não precisa afogá-las, basta manter o solo sempre úmido.
  • Deixar o vaso em local onde o sol não bata o dia inteiro. A pimenteira deve ser exposta a sol direto por no máximo 4 horas por dia.

Como utilizar a pimenta malagueta

São muitas as opções de uso da pimenta malagueta para o consumo.

Você pode utilizar a pimenta fresca, seca, em pó, inteira ou em pedaços, em preparações salgadas ou doces. Ultimamente o uso da pimenta vem aumentando, existem diversos molhos, conservas, geleias e até chás sendo feitos com pimenta malagueta.

Segue uma receita de azeite temperado com pimenta malagueta

Ingredientes

Modo de preparo

  • Coloque o azeite em uma garrafa de vidro, junto com o louro;
  • Pique ou fatie o alho e acrescente no azeite;
  • Pique as pimentas e acrescente no azeite. Para um azeite menos picante, retire as partes brancas e as sementes das pimentas.

Além do sabor delicioso, o azeite ficará com um aroma mais intenso por causa das pimentas. Validade de 6 meses em temperatura ambiente ou em geladeira.

Para mais informações, veja também:”Tipos de pimenta: conheça suas diferenças, benefícios e como usar“.

 

CUIDADO!

Se você nunca usou essa pimenta, experimente um pouquinho para ter certeza de que você consegue suportar o ardor. Pode ser que você não esteja acostumado com a intensidade da malagueta, então comece devagar, com pequenas quantidades. E lembre-se: se quiser menor ardor, remova as partes brancas e as sementes da pimenta.

 

Referências:

  1. Sociedade Nacional de Agronegócio. Revista A Lavoura. 2016, n° 716. Disponível em: https://issuu.com/sociedadenacionaldeagricultura/docs/a_lavoura_716_1ef8824749460d
  2. Carvalho, S. I. C., Bianchetti, L. B. Pimentas do gênero Capsicum no Brasil. Brasília, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Embrapa Hortaliças. 2006. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/779776/pimentas-do-genero-capsicum-no-brasil
  3. Roman, A. L. C., Ming, L. C. Uso medicinal da pimenta malagueta (Capsicum frutenses L.) em uma comunidade de várzea à margem do ri Amazonas, Santarém, Pará, Brasil. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Hum. 2011; v.6; n° 3. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/bgoeldi/v6n3/05.pdf
  4. Stark, C. B. Características e benefícios da capsaicina. 2008. Bacharelado em Química dos Alimentos. Universidade Federal de Pelotas. Disponível em: https://quimicadealimentos.files.wordpress.com/2009/08/capsaicina.pdf
  5. Pinto, C. M. F. Produção de Pimenta Malagueta (Capsicum frutescens) em Minas Gerais. Embrapa hortaliças. 2012. Disponível em: http://www.emater.go.gov.br/intra/wp-content/uploads/downloads/2011/07/Produ%C3%A7%C3%A3o-de-Pimentas-Malagueta.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *