Chas que baixam a glicose para diabéticos

Chás que baixam a glicose para diabéticos

PUBLICIDADE

O diabetes é uma doença caracterizada pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue, causado por um defeito na ação ou na secreção de insulina (hormônio responsável por reduzir o açúcar no sangue).

Entre todos os problemas de saúde, o diabetes melito é um dos mais dispendiosos e evitáveis que existem. Isso porque o aumento de açúcar no sangue está diretamente ligado com a alimentação e estilo de vida.

A partir de escolhas do que comemos e bebemos, podemos levar uma vida mais saudável, e evitar, não só a diabetes, como também diversas outras doenças.

Os chás são, atualmente, um excelente coringa no tratamento nutricional da diabetes. Bem aceitos pelos brasileiros, por serem práticos e saborosos, os chás podem ser muito diversos.

Mas atenção! É muito importante que o chá seja preparado em casa, utilizando ervas frescas, para que você aproveite ao máximo suas propriedades benéficas, sem perdas nutricionais. Evite utilizar saquinhos de chá prontos.

Quais os melhores chás caseiros para diabéticos?

Já há muitos anos, o chá carrega em sua tradição a característica de “cura” de doenças. Quem nunca tomou um chazinho quando estava gripado, nervoso ou até mesmo com aquela dor de barriga?

Embora existam muitas crenças infundadas por trás de seus supostos efeitos milagrosos, é importante afirmar que em algumas situações os chás realmente podem ajudar.

A prevenção e auxílio no tratamento da diabetes é um exemplo desses casos, e aqui vamos conhecer um pouco mais sobre quais os melhores chás nessa ocasião em particular.

Chá de pata de vaca

A “pata de vaca” é o nome popular para a ervas do gênero Bauhinia, e recebeu esse nome pelo aspecto de suas folhas, que lembram o formato da pata de uma vaca.

A espécie Bauhinia fortificata é a que mais se encontra em estudos na literatura sobre sua ação na diabetes, sendo conhecida como “pata de vaca verdadeira”.

Devido às suas propriedades de redução da glicose no sangue, o chá realizado a partir dessa erva parece ajudar bastante no tratamento da diabetes.

VEJA TAMBÉM:  Conheça os 5 alimentos essenciais para manter a massa magra

Essa característica pode ser explicada pela presença de uma substância, encontrada somente nas folhas da pata de vaca, conhecida como kaempferitrina.

Além disso, o chá de pata de vaca é rico em flavonoides, que são substâncias antioxidantes. Os antioxidantes protegem o corpo contra os radicais livres, prevenindo doenças.

Porém, é importante informar, que as propriedades da pata de vaca podem variar muito, mesmo entre ervas da mesma espécie, dependendo da região em que foi cultivada e alterações sazonais.

Por esse motivo, consumir chá de pata de vaca não é garantia de tratamento efetivo contra a diabetes, uma vez que essas variações podem desencadear em alterações negativas nas substâncias presentes na erva.

Além disso, em excesso, a pata de vaca pode ser tóxica. Sendo assim, é muito importante que, se consumido, o chá de pata de vaca deve apresentar boa diluição e não ser ingerido em grandes quantidades.

Chá de canela

A canela é uma especiaria muito conhecida, e extremamente versátil. Podendo ser utilizada tanto para preparações doces como salgadas, a canela também vem ganhando força, atualmente, nas preparações de chás.

Muito conhecida por seu potencial termogênico e no emagrecimento, o chá de canela também apresenta diversas outras características benéficas à saúde. Entre elas, podemos citar sua ação na redução da glicose (açúcar) no sangue.

Sendo assim, é um chá que atua como remédio natural, podendo auxiliar no tratamento nutricional da diabetes tipo 2. E essa propriedade pode ser explicada pela sua função exercida na melhora do reconhecimento da insulina, favorecendo o controle da glicemia.

Importante: o chá de canela é contraindicado durante a gravidez. Embora não existam evidências suficientes que comprovem, a canela parece possuir efeito abortivo, por provocar o relaxamento do útero.

Receita de Chá de Canela

Ingredientes

  • 4 colheres de café de canela em pó;
  • 1 xícara de chá de água filtrada.

Modo de Preparo

Coloque a água em uma panela e aqueça. Assim que levantar fervura, desligue o fogo e adicione a canela em pó. Tampe a panela e espere 10 minutos. Beba em seguida, sem adoçar.

VEJA TAMBÉM:  Diferenças entre frutose, glicose e sacarose

Chá preto e Chá verde

O chá preto e o chá verde parecem exercer efeitos positivos no tratamento da diabetes tipo 2, por ajudarem a controlar a taxa de glicose no sangue.

Realizados a partir da mesma erva, Camellia sinensis, a diferença entre os dois chás é o grau de fermentação da erva. Enquanto o chá preto é totalmente fermentado, o chá verde é totalmente não fermentado e preparado a partir de folhas jovens.

Devido à fermentação, o chá preto apresenta um sabor mais acentuado. Além disso, o consumo, tanto de chá verde como de chá preto, parece estar associado com a redução de peso.

Chá para diabetes: participação na dieta

Os chás, sem dúvida, podem fazer parte de uma estratégia nutricional no tratamento e também na prevenção da diabetes, assim como de outras doenças.

Entretanto, é importante lembrar que apenas o consumo de chá para baixar glicose não deve ser o único mecanismo de combate à doença, e sim parte de uma dieta equilibrada e orientada por um nutricionista.

Sempre procure a ajuda de um profissional antes de fazer modificações na sua dieta!

Referências:

  1. Simões, RC. Almeida, SSMS. Estudo Fitoquímico de Bauhinia fortificata (Fabaceae). Biota Amazônia. 2015; 5(1): 27-31. Disponível em: https://periodicos.unifap.br/index.php/biota/article/view/985/v5n1p-27-31.pdf
  2. Borges, KB. et al. Diabetes – Utilização de Plantas Medicinais como Forma Opcional de Tratamento. Revista Eletrônica de Farmácia. 2008; 2: 12-20. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/REF/article/viewFile/5149/4256
  3. Silva, KL. Filho, VC. Bauhinia: Composição Química e Potencial Farmacológico. 2002; 25(3): 449-454. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/qn/v25n3/9339.pdf
  4. Negri, G. Diabetes melito: plantas e princípios ativos naturais hipoglicemiantes. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. 2005; 41(2): 121-142. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcf/v41n2/28034.pdf
  5. Silva, SRS. et al. Uso do chá preto (Camellia sinensis) no controle do diabetes mellitus. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada. 2010; 31(3): 133-142. Disponível em: http://www.repositorio.ufop.br/bitstream/123456789/765/1/ARTIGO_UsoCh%C3%A1Preto.pdf
  6. Bolin Qin, MD. et al. Cinnamon: Potential Role in the Prevention of Insulin Resistance,
    Metabolic Syndrome, and Type 2 Diabetes. Journal of Diabetes Science and Technology. 2010; 4(3): 685-693. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20513336
PUBLICIDADE

Escrito por

Renata Pereira

Nutricionista com CRN 16101015 formada em Nutrição pela Faculdade UNIRIO

Especialista em Nutrição Funcional - UFF Mestranda em Alimentos e Nanotecnologia - UFRJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *